Notícias/Artigos

Blog

Esse é um assunto que venho estudando há alguns anos e me levou a fazer uma pós-graduação em nutrologia pela Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN) no ano de 2017.

Também foi tema de duas das minhas palestras mais recentes.

Uma no fim de março, no Rio de Janeiro, durante o 2º Simpósio de Envelhecimento da SBD, e outra, no início de abril, em São Paulo, durante o III Simpósio de Cabelos e Unhas da SBD- Regional São Paulo.

Vários suplementos podem nos ajudar, seja no envelhecimento da pele, seja no tratamento de alterações de cabelos e unhas.

No entanto, nenhum desses compostos tem a capacidade de resolver milagrosamente todos os problemas de forma definitiva e, na realidade, faz parte de uma estratégia de tratamento.

Essa estratégia precisa (entenda isso) ser individualizada porque ninguém é igual ao outro, nem geneticamente, nem em termos de exposição ambiental.

Cabe ao médico, juntamente com o paciente, estabelecer quais suplementos farão parte dessa estratégia (e, talvez, para que ela seja bem-sucedida, o paciente deva incluir algumas mudanças de estilo de vida, como incorporação de hábitos e abandono de alguns vícios).

E é por isso que não tenho como responder às perguntas: “Que creme é bom para não envelhecer?” ou “O que preciso tomar para o meu cabelo parar de cair?”.

Tudo isso depende de quem pergunta e de uma conduta que será elaborada a partir de uma avaliação ou consulta médica, feita no lugar apropriado para isso, que é o consultório.

Seguem fotos dos eventos que participei e espero que eu tenha esclarecido algumas das dúvidas de vocês sobre esse tema.

No meu Instagram @dratatianagabbi eu falo bastante sobre esse assunto e tenho alguns vídeos esclarecedores sobre o assunto. Me segue lá!

LEIA MAIS

Falei sobre a síndrome das unhas fracas recentemente para a revista Claudia.

Nessa entrevista expliquei sobre as bases com formol e sobre aquelas que contêm aminoácidos, antioxidantes e fibras.

As bases com formol têm uma indicação precisa: unhas amolecidas, por curto período e sempre associadas à hidratação.

Já as bases com aminoácidos e fibras promovem um endurecimento imediato, porém passageiro das unhas.

Elas funcionam como um “calço” que dá suporte aos tijolinhos que formam as nossas unhas.

E as bases de formol promovem um aumento da espessura da unha, que só é interessante quando as unhas são finas e amolecidas.

Essa ação do formol se faz com perda de água, e isso piora ainda mais a fragilidade (ou seja, a descamação) das unhas.

Eu já falei sobre esse assunto aqui no blog. Leia mais aqui e aqui.

Para ler a reportagem da revista Claudia na íntegra, clique aqui.

LEIA MAIS

No fim desta semana eu embarco para o Rio de Janeiro, pois irei participar do 12º Simpósio de Cosmiatria e Laser e 2º Simpósio de Envelhecimento da SBD na Barra da Tijuca.

Fui convidada pela coordenação do evento para palestrar sobre os Nutracêuticos em Dermatologia.

Os nutracêuticos são suplementos orais derivados de alimentos que trazem benefícios para a saúde, seja no tratamento, seja na prevenção de doenças.

No entanto, mais importante do que suplementar a nossa dieta é garantir que a nossa alimentação seja a melhor possível.

Devemos preferir alimentos frescos e feitos em casa a alimentos processados, enlatados ou industrializados.

Outra dica importante é aumentarmos a ingestão de verduras, legumes e frutas e reduzir o consumo de frituras e doces.

Dessa forma, garantimos um aporte de nutrientes ao nosso organismo, que ajudam a prevenir uma série de problemas para a nossa saúde e, ainda por cima, melhoram a qualidade da nossa pele.

O envelhecimento da pele acontece por meio de uma série de reações que são conhecidas como estresse oxidativo.

É como se “enferrujássemos” com o passar dos anos… Para a nossa sorte, o consumo de produtos antioxidantes (presentes nos vegetais, verduras e frutas) ajuda a prevenir e reverter esses processos.

E não para por aí!

Alguns estudos demonstraram que a ingestão de menos calorias também retarda o envelhecimento cutâneo!

Portanto, pense duas vezes antes de repetir aquele prato! Coma devagar e mastigue bem os alimentos para que você coma somente o que é necessário para nutrir seu organismo!

LEIA MAIS

De repente, você, que nunca teve nenhum tipo de problema nas suas unhas dos pés, começa a reparar que alguns sapatos machucam e incomodam.

Na sequência, você nota que a unha está enrolando sobre ela mesma e começa a doer no canto.

O que é isso? Será que estou com a unha encravada? Como isso aconteceu?

Esse tipo de questionamento é o que passa na cabeça daquelas pessoas que apresentam a unha em telha.

Ela é mais frequente em mulheres que estão com mais de 50.

Alguns especialistas acreditam (e eu me incluo nesse grupo) que esse fenômeno aconteça induzido pelo trauma de sapatos apertados ou finos ao longo de toda a vida.

No entanto, essa não é a única causa: micose, traumas agudos, problemas de circulação, diabetes e até tumores benignos podem levar ao surgimento do quadro.

O tratamento pode ser feito afastando a causa primária, quando presente, e por meio do uso de cremes e tratamentos cirúrgicos, dependendo da intensidade da dor.

LEIA MAIS

A caspa é o nome popular de uma doença conhecida como dermatite seborreica.

Esse problema que, em geral, atinge o couro cabeludo, pode ficar mais extenso e aparecer também atrás das orelhas, nas sobrancelhas, na região da barba, ao redor do nariz e na região do peito.

Em algumas pessoas, fica vermelho e descasca, em outras fica apenas descamativo. Pode ou não coçar.

Em pessoas bem morenas, a caspa pode deixar a área afetada mais clara que o restante da pele.

É crônica e tem períodos de melhora e piora, podendo ficar muito tempo sem aparecer.

No entanto, quando alguém diz que tem caspa, está se referindo à descamação do couro cabeludo.


E isso pode ter várias causas, inclusive a dermatite seborreica!

Se esse for o seu caso, você precisa usar um shampoo adequado todos os dias para fazer a limpeza do couro cabeludo.

O shampoo anticaspa possui ativos que controlam a descamação e a proliferação de um fungo que vive normalmente na nossa cabeça, mas que pode causar esse problema quando está presente em maior quantidade!!!

Como o problema é crônico, ele tende a voltar após um tempo que a pessoa abandona o uso do shampoo correto, mas pode ficar excelente durante o uso.

Outro problema que pode ser confundido com a caspa verdadeira é quando alguém com poucos cabelos, cabelos ralos ou muito claros se expõe ao sol sem usar chapéus ou bonés.

Nesse caso, ocorre uma queimadura do couro cabeludo que pode descascar com o passar dos dias.

A orientação aqui é de usar shampoos suaves para não agredir a pele em recuperação e até mesmo alguns condicionadores especiais que podem ser usados no couro cabeludo.

E, obviamente, se isso aconteceu com você: na próxima vez que se expuser ao sol, usar a proteção adequada para que isso não ocorra novamente!

A dermatite de contato é uma lesão que aparece quando alguma substância irritante ou que nos cause alergia entra em contato com a nossa pele.

Em geral, coça bastante e aparece logo depois de uma tintura ou procedimento de alisamento ou permanente.

O indicado é evitar novo contato com a substância que causou o quadro e usar shampoos suaves que respeitem a pele irritada do couro cabeludo.

Caso a coceira seja intensa, poderá ser necessário consultar um dermatologista que irá receitar medicamentos locais e orais para controle do quadro.

Finalmente, quadros de caspa extensas, que não cedem com o uso diário de um shampoo adequado, merecem a visita de um médico dermatologista porque existe um monte de outras doenças que podem aparecer no couro cabeludo!

Quanto antes forem feitos o diagnóstico e o tratamento, melhor! A saúde dos seus cabelos agradece!

LEIA MAIS

Confira 10 fatos sobre micose de unha e como tratar:

1. A micose de unha é um problema incômodo e esteticamente desagradável que atinge muitas pessoas mundo afora.

2. É causada por fungos que normalmente atacam primeiro os pés. Por esse motivo, uma boa forma de prevenir é cuidar dos seus pés e tratar frieiras e descamações assim que elas surgirem!

3. É ainda mais frequente após os 60 anos. Isso acontece porque, após essa idade, as unhas tendem a crescer mais devagar e isso favorece a infecção pelos fungos.

4. Não adianta usar remédios caseiros ou pingar antifúngicos sem a recomendação do médico. O tratamento, que é bastante prolongando, exige medicamentos orais na maioria das vezes.

5. Dependendo do tempo de doença e da situação da unha, podem ser necessários alguns procedimentos médicos para acelerar o tratamento. No entanto, limpar embaixo da unha só irá prejudicar e arrastar o quadro. Pare de fazer isso e vá ao médico!

6. Nem tudo que aparece na unha e fica feio é micose. Algumas doenças importantes e graves – e outras bobinhas – simulam a micose da unha. É muito importante que um dermatologista especializado faça esse diagnóstico.

7. O diagnóstico pode ser feito clinicamente com o auxílio de um dermatoscópio, mas, em alguns casos, o médico pode solicitar exames complementares para a identificação do fungo: o exame micológico direto e a cultura para fungos.

8. Simplesmente arrancar a unha não irá tratar uma micose. Assim como o fato de a unha doente cair não resolverá o quadro. Se o tratamento correto não for feito, uma nova unha doente poderá nascer!!!

9. O remédio que trata a micose da unha não faz “mal para o fígado”. Trata-se de uma medicação que é metabolizada (ou seja, eliminada do nosso organismo) nesse órgão. Portanto não se recomenda ingerir substâncias – medicamentosas ou não – que compartilhem da mesma via. Por esse motivo não se deve consumir bebidas alcoólicas durante o tratamento e também não se deve fazer o uso de medicamentos por conta própria. O médico sempre deve acompanhar esse tipo de situação.

10. Mesmo que você tenha a doença por muitos anos é possível tratar e ficar com a unha curada e com bom aspecto. No entanto, quanto mais tempo você espera para tratar, mais difícil poderá ser esse tratamento e, sim, sequelas podem acontecer em alguns casos. Portanto não perca tempo!

LEIA MAIS

A onicomicose é uma doença que incomoda muitas pessoas.

Aqui vão 5 dicas para evitar a micose de unha.


1. Seque bem os seus pés após o banho

O ambiente quente e úmido dos sapatos é uma excelente oportunidade para o desenvolvimento desses fungos.

É comum que eles se desenvolvam primeiro nos pés e depois passem a afetar as unhas.


2. Observe seus pés: eles são muito secos ou estão descamando?

Isso já pode ser micose dos pés ou tinea pedis e o fungo que se desenvolve dessa maneira pode acabar infectando as suas unhas também!

Se você identificou esse problema é importante consultar o dermatologista para fazer o tratamento, pois muitas vezes ele é realizado com medicamento oral e pode demorar bastante.

Além disso, há diferenciais que se parecem muito com micose, mas podem ser outra coisa.

Não perca tempo tentando fazer tratamentos caseiros!


3. NUNCA cutuque a pele embaixo da unha tentando limpar o que existe por baixo

Existe uma proteção nessa área que pode ser rompida e, assim, pode facilitar a infecção por fungos.

E é bem por aí que eles invadem as unhas.


4. Mantenha as unhas dos pés mais curtas que as pontas dos dedos

Quando elas estão muito compridas podem descolar: isso facilita a infecção por fungos e o surgimento da micose.

Tome muito cuidado com isso!


5. Nem tudo que aparece nas unhas é micose

O trauma constante das unhas nos calçados pode levar a unhas alteradas.

Há tratamento para esses quadros também!

Portanto se as suas unhas ficarem deformadas, procure o médico dermatologista.

Unhas alteradas correm um risco maior de desenvolver a micose e, quanto mais cedo identificarmos e tratarmos o problema, mais rápido teremos resultados e menos chances de sequelas.


Lembre-se:
o tratamento da micose de unha é longo, mas os resultados são muito bons.

O tratamento depende de um acompanhamento correto que seja feito com um médico dermatologista da sua confiança.

LEIA MAIS

Você já parou para se perguntar como a unha encrava?

Neste artigo vamos explicar os mecanismos que estão por trás disso e você vai finalmente entender como e por que isso acontece.

Talvez assim você consiga evitar esse problema!

Observe a ponta dos seus dedos. Aquilo que chamamos de unha é, na verdade, um sistema complexo: o aparelho ungueal.

Ele é composto da placa ou lâmina, que corresponde à unha propriamente dita, e da pele que fica em volta.

Essa pele não é igual em toda a volta da unha. A pele da ponta normalmente é solta em relação à lâmina enquanto que a pele debaixo é muito aderida e forma a cutícula e as laterais fazem verdadeiras dobras onde a unha se encaixa.

Muito bem! Toda a vez que há uma briga por espaço entre essa pele (que forma a moldura da unha) e a unha, o encravamento acontece.

Motivos:

1. O motivo número 1 é o corte errado das unhas. Ao arredondar os cantos da lâmina, você permite que a pele em volta cresça para cima da unha.
Evite! Evite! Evite!

2. Calçados apertados empurram a pele das dobras laterais para cima da unha. Isso gera um impacto, um trauma, que pode ferir a pele ao redor e favorecer o encravamento.

3. Remover as cutículas. A cutícula é uma pele delicada que forma uma letra “U”, abraçando a unha desde a lateral, passando pela parte onde ela é mais visível e terminando na outra lateral. Ao removê-la, você pode machucar essa área e isso pode culminar em uma inflamação. A inflamação também encrava a unha!

4. Suor excessivo nos pés. Pouca gente sabe disso, mas os pés sempre úmidos favorecem o encravamento das unhas porque a umidade aumenta o atrito e pode machucar os cantos, levando à inflamação e ao encravamento.

5. Manicure ou podologia com remoção de áreas extensas de pele ou partes da unha. Sabemos que, em um primeiro momento, isso alivia bastante a dor, mas pode levar a encravamentos maiores futuros, portanto saiba o momento de procurar o médico para que o procedimento cirúrgico seja o mais simples possível.

6. Unhas fracas: a quebra de partes laterais da unha pode levar à formação de espículas. Espículas são pedaços muito pequenos e pontudos de unhas que adentram a pele lateral e podem se tornar extremamente dolorosos.

7. Traumas agudos. Queda de objetos, freadas bruscas em esportes, como tênis e futebol, podem levar a quebras que atuam da mesma forma que a descrita no item acima.

8. Alterações ortopédicas: algumas pessoas têm uma pisada diferente que leva ao trauma e pode contribuir com a formação da unha encravada. Também há casos em que as pessoas herdam geneticamente pés que possuem dedos encavalados ou que possuem desvios ósseos. Esses fatores também podem levar ao encravamento das unhas dos pés.

Você está com as unhas encravadas? Leia também os demais artigos sobre esse assunto. Procure um médico especialista para te ajudar no tratamento!

LEIA MAIS

Hoje estive no Panorama da TV Cultura juntamente com a Dra. Juliana, do Hospital AC Camargo, discutindo questões referentes aos cuidados com a pele no verão.

Foi uma experiência incrível nos estúdios da TV Cultura e fiquei extremamente feliz por ter participado.

Achei o programa bastante esclarecedor, pois falamos sobre uma série de mitos que envolvem o tema, como o uso do filtro solar e a questão da vitamina D, por exemplo.

O resultado você confere neste link.

Seguem fotos do programa.


LEIA MAIS

Uma dúvida muito frequente entre pacientes e estudantes de Medicina diz respeito ao filtro solar.

Muitos não entendem como o filtro funciona e o que é aquele número FPS 15 ou 30.

Para responder a essa e outras dúvidas, gravei um vídeo com o pessoal do VivaBem, do UOL, que está disponível neste link.

Além disso, falamos também sobre a queimadura solar e por que a pele da gente descasca depois que isso acontece!

Não deixem de conferir!

Um abraço e até a próxima!

Tags:
LEIA MAIS