É comum ver o Sol brilhar o tempo inteiro no nosso país tropical e é esse clima que faz com que as praias lotem no verão. Mas você já parou para pensar em como se proteger do Sol?

E não estou falando só de quando vai à praia, mas também nos momentos em que precisa sair para resolver alguma situação ou fazer qualquer outra atividade.

Sempre que você sai, você se expõe ao Sol e isso é ruim para a sua pele; por isso a proteção diária é importantíssima!

O horário correto para pegar sol é antes das 10h e após as 16h, mas a gente sabe que o tempo quente é um estímulo extra para as atividades ao ar livre.

Porém, isso demanda cuidado extra com queimaduras, desidratação, câncer de pele e outros problemas.

Para aproveitar o clima sem colocar a saúde em risco, criei uma listinha com 8 dicas para se proteger do Sol. Confira!

8 dicas para se proteger do Sol

1 – Aplique o protetor solar antes de sair de casa. O corpo leva pelo menos 30 minutos para absorver o produto;

2 – Aposte em filtros solares com alto FPS, principalmente para as crianças;

3 – Reaplique o filtro solar toda vez que entrar na água ou quando suar demais. O ideal também é utilizar novamente o produto dentro de 2 ou 3 horas;

4 – Use chapéus, bonés e óculos de sol, que ajudam a evitar catarata e outras lesões nos olhos;

5 – Bebês e crianças podem usar roupas de proteção solar. Filtros solares só a partir dos 6 meses;

6 – Na praia, procure usar guarda-sóis e se abrigar na sombra;

7 – Aumente a ingestão de líquidos;

8 – Aplique um bom hidratante para manter a quantidade de água na pele.

Importância de se proteger do sol

A radiação ultravioleta pode atingir uma camada superficial da sua pele (a epiderme), mas a radiação infravermelha e a luz visível atingem sua derme.

Isso interfere no seu colágeno – proteína que dá firmeza para a sua pele – e faz com que você sofra com o envelhecimento antes da hora.

Um outro ponto é que a luz visível pode piorar ou até desencadear várias doenças na pele, como melasma (manchas), alergias e urticária.

Antes das 10h ou depois das 17h, você pode pegar aquele solzinho para formar a vitamina D e também aproveitar os outros benefícios que o Sol traz para o corpo.

Mas entre esses horários, os raios solares podem prejudicar muito a sua pele – não só o rosto, como também o corpo.

Por isso, use o protetor solar todos os dias e aproveite essas dicas de como se proteger do Sol para ter uma pele saudável, jovem e iluminada.

Tem alguma dúvida? Deixe um comentário que eu te ajudo!

P.S.: Leia também este artigo sobre melanoma e saiba mais sobre esse câncer de pele.

LEIA MAIS

Doença da pele relativamente comum, crônica e não contagiosa.

É cíclica, ou seja, apresenta sintomas que desaparecem e reaparecem periodicamente.  Sua causa é desconhecida, mas se sabe que pode estar relacionada ao sistema imunológico, às interações com o meio ambiente e à suscetibilidade genética.

Acredita-se que ela se desenvolve quando os linfócitos T (células responsáveis pela defesa do organismo) liberam substâncias inflamatórias e formadoras de vasos. Iniciam-se, então, respostas imunológicas que incluem dilatação dos vasos sanguíneos da pele e infiltração da pele com células de defesa chamadas neutrófilos, como as células da pele estão sendo atacadas, sua produção também aumenta, levando a uma rapidez do seu ciclo evolutivo, com consequente grande produção de escamas devido à imaturidade das células.

Esse ciclo faz com que ambas as células mortas não consigam ser eliminadas eficientemente, formando manchas espessas e escamosas na pele. Normalmente, essa cadeia só é quebrada com tratamento. É importante ressaltar: a doença não é contagiosa e o contato com pacientes não precisa ser evitado.

É frequente a associação de psoríase e artrite psoriática, doenças cardiometabólicas, doenças gastrointestinais, diversos tipos de cânceres e distúrbios do humor. A patogênese das comorbidades em pacientes com psoríase permanece desconhecida. Entretanto, há hipóteses de que vias inflamatórias comuns, mediadores celulares e susceptibilidade genética estão implicados.

Promovida pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a Campanha Nacional de Conscientização da Psoríase, aberta oficialmente em outubro, visa combater o preconceito e melhorar a qualidade de vida das pessoas portadoras da doença. Para isso, desde 2016, a entidade elabora ações anuais de esclarecimento para mostrar que os pacientes podem conviver com a doença – considerada crônica sistêmica, autoimune e não contagiosa –, que afeta a pele de cerca de 3% da população mundial.

A entrevista concedida a Camila Barbieri para o programa Viver é Melhor sobre PSORÍASE. A dra Tatiana Gabbi explica sobre preconceito, fala sobre a doença, diagnósticos diferenciais, tratamento e acompanhamento.

 

Fonte: SBD | www.psoriasetemtratamento.com.br

LEIA MAIS