Muito está sendo dito a respeito das mãos ressecadas por conta da pandemia de COVID. Mas hoje vamos falar de um problema muito comum e pouco falado: a rachadura nos pés e o ressecamento.

Os cuidados com os pés devem fazer parte da rotina de beleza. Ter ressecamentos e rachaduras nos pés (principalmente no calcanhar) causa bastante desconforto e incomoda esteticamente.

Se você sofre com isso, é provável que se sinta mal em usar sandálias ou saltos abertos, por exemplo. Mas é possível retomar a sua autoestima e se sentir livre novamente desse problema.

Algumas pessoas são mais suscetíveis aos calcanhares secos e rachados, mas existem cuidados diários que ajudam a evitar o problema e tratar esse ressecamento.

Tratar esses problemas de rachaduras nos pés não é tão difícil, mas requer rotina e recomenda-se que procure um dermatologista para que ele indique o melhor para o seu tipo de pele.

4 dicas para evitar os calcanhares secos e rachados

1 – Evite o uso de lixa e pedra, pois agridem a sola do pé e tornam a pele da região ainda mais espessa.

2 – Lave e esfolie suavemente os pés. Hidrate-os duas vezes ao dia. Coloque meias após aplicar o produto à noite, pois facilita a penetração dos ativos.

3 – Em peles muito espessas, podem ser usados hidratantes específicos à base de ureia e ácido salicílico.

4 – Procure um especialista para identificar a causa do ressecamento.

Quer saber mais sobre o assunto e precisa de um especialista em pele? Entre em contato e agende a sua consulta.

LEIA MAIS

A pele sensível traz bastante impacto na qualidade de vida daqueles que sofrem com este problema. São indivíduos que sofrem de ansiedade e somatização e a queixa de pele sensível é cada vez mais frequente nos nossos consultórios, já que mais da metade das mulheres e até 40% dos homens se queixam dessa condição.

Na maior parte das vezes, a sensibilidade aumentada está associada ao uso frequente e prolongado de certos produtos de skincare, que contêm conservantes e fragrâncias com potencial alergênico.

O surgimento da doença combina três mecanismos principais, mas ainda é pouco compreendido. Veja a seguir quais são os fatores que deixam a pele sensível e confira dicas para lidar com isso!

1 – Aumento da neurossensibilidade cutânea

Alterações nas terminações nervosas da pele fazem com que ela esteja mais sujeita aos estímulos ambientais. Isso torna a pele mais reativa, levando a uma inflamação e sensibilidade exacerbadas.

 

2 – Aumento da resposta imune

Reação acentuada aos irritantes levam ao aumento da resposta tipo antígeno-anticorpo.

Ou seja: existe uma maior propensão a alergias e doenças, como urticária de contato e dermatite de contato alérgica.

 

3 – Disfunção da barreira cutânea

A permeabilidade da barreira depende da integridade do estrato córneo da epiderme, das gorduras intercelulares (colesterol, ceramidas e ácidos graxos livres) e da organização celular.

Qualquer alteração nesse equilíbrio pode perturbar a função da barreira, permitindo que mais substâncias irritantes tenham contato com a parte imunológica da pele.

Isso faz com que os dois outros componentes desencadeiem uma reação inflamatória mais facilmente.

 

Pele sensível: quais lugares são mais afetados?

O local mais acometido é a face, especialmente próximo à região da boca, por ser uma área mais exposta a cosméticos, maior número de terminações nervosas e uma barreira cutânea mais frágil.

Outras áreas que também são afetadas com frequência são:

– Mãos

– Couro cabeludo

– Pés

– Pescoço

– Dorso

– Genitais

Logo após o uso dos cosméticos, ou até alguns dias depois do uso, o indivíduo nota ardor, desconforto, irritação, aspereza ou queimação na pele.

Outros sinais podem estar presentes, como: telangiectasias, ressecamento, descamação, pústulas, bolhinhas ou erosões.

 

Como cuidar da pele sensível?

O ideal é que você procure um médico dermatologista para te ajudar com a pele sensível, já que esse especialista vai te indicar o melhor tratamento.

Mas, até você procurar um médico dermatologista, vou deixar algumas dicas simples para te ajudar com a pele sensível:

1 – Use o menor número possível de cosméticos.

2 – Escolha produtos específicos para peles sensíveis.

3 – Escolha produtos sem fragrâncias, de preferência.

4 – Evite sabões ou sabonetes.

5 – Use água termal ou loções de limpeza.

6 – Seque suavemente, evite atrito com toalhas.

7 – Escolha hidratantes de textura leve.

8 – Evite máscaras e esfoliantes.

9 – Evite ácidos, a não ser quando prescritos pelo dermatologista. Inicie o uso em dias alternados.

10 – Proteja a pele de vento, calor e sol.

 

Pronto para superar a pele sensível e se sentir melhor?

Espero que tenham gostado. Existem diversos tratamentos que são indicados para esse tipo de pele.

Em geral, quando uma irritação ocorre, pedimos para que o paciente suspenda o uso de todos os produtos, fique um tempo sem utilizar nada e, depois, faça a reintrodução gradual, respeitando um intervalo de 7-15 dias entre cada um dos produtos, para que possamos entender qual deles é o responsável pelo quadro.

Muitas vezes, esses pacientes não conseguem utilizar produtos prontos e precisam de produtos manipulados de forma exclusiva. Para ter um atendimento exclusivo sobre o assunto, mande uma mensagem aqui, para o nosso whatsapp!

Espero que tenham gostado desse artigo!

LEIA MAIS

É óbvio que estamos lavando mais as mãos e abusando do álcool em gel, mas mesmo sem esses hábitos, sabemos que no inverno a pele tende a ressecar, especialmente a pele das mãos e do rosto.

O cuidado com a hidratação da pele, principalmente nessas áreas, deve estar presente o ano todo, justamente porque hidratar a pele contribui no retardo do envelhecimento cronológico.

No inverno, observamos os sinais da tendência à desidratação como: ressecamento da pele, opacidade e tendência à descamação. Algumas pessoas ficam com a pele esbranquiçada e até mesmo avermelhada, nos locais mais críticos.

 

Hidratação da pele: o que fazer?

O tratamento individualizado é o nosso mais poderoso aliado, pois permite com que os médicos possam avaliar cada caso particularmente e diagnosticar doenças de pele que se confundem com o ressecamento – como as micoses, a psoríase e a dermatite atópica, só para citar 3 exemplos.

Além disso, conhecendo os hábitos dos nossos pacientes, podemos indicar a combinação ideal de ativos para cada um deles.

Algumas recomendações, no entanto, são universais:

– Evitar banho quente e demorado;

– Usar hidratante com a pele ainda úmida e não esfregar a toalha na pele;

– Skin care diário com o uso de sabonetes suaves, hidratantes e fotoprotetores;

– Tomar bastante água (cerca de 2l ao dia);

– Se alimentar de gorduras boas, ricas em ômega 3 (peixes como o salmão e a sardinha);

– Cuidar da microbiota da pele e do intestino, através de uma boa alimentação e evitando o uso de tópicos que interfiram, como álcool e outros produtos agressivos para a pele;

– Para as mãos: antes de dormir, coloque bastante hidratante nas mãos, de preferência um que seja mais consistente, como as manteigas.

Quer ficar por dentro de outras dicas sobre hidratação da pele no inverno? Para ter um atendimento exclusivo sobre o assunto, mande uma mensagem aqui, para o nosso whatsapp! E continue me acompanhando por aqui e me siga no Instagram.

LEIA MAIS

Uma das medidas adotadas para o enfrentamento do novo coronavírus no Brasil é implementar o uso da telemedicina. O método ganhou destaque nas falas no Ministério da Saúde (MS) que, diante da crise, reconheceu a prática para atendimento médico durante a pandemia.
A telemedicina foi regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) em 2002 e, desde então, vem sendo objeto de discussão entre entidades de saúde para definição das regras do uso correto e ético na prática. No contexto da pandemia de Covid-19, o CFM reconheceu o uso da telemedicina no Brasil “em caráter de excepcionalidade”.
Dessa forma, é possível viabilizar a assistência médica à distância, diminuindo, assim, os riscos de contaminação com a Covid-19, seja no caminho dos pacientes ao consultório ou mesmo na relação médico-paciente.
Além disso, essa modalidade de atendimento facilita muito o acompanhamento dos pacientes que já estão em tratamento e possibilita atender urgências dermatológicas (que não são vistas em pronto atendimento).

 

Mas, afinal de contas, o que é telemedicina?

O professor da Faculdade de Medicina e chefe da disciplina de Telemedicina da USP, Chao Lung Wen, define o recurso como um método da profissão.
Ele explica que o que determina a prática é simplesmente o uso de tecnologias eletrônicas associado ao atendimento não presencial e destaca que manter a qualidade do serviço médico é o que completa o pacote.
“Todos os processos que determinam a qualidade de um ato médico estão totalmente vinculados à telemedicina. Envolve entrevista investigativa estruturada, prontuário digital, decisão de conduta após avaliação do que podemos fazer usando um meio tecnológico. O paciente pode estar à dez metros dentro de outra sala, ou a mil quilômetros de distância e, ainda assim, poderá ser avaliado por meio de tecnologias interativas que estão à nossa disposição para oferecer a extensão do cuidado médico”, explicou o especialista.

 

Qual a diferença entre telemonitoramento, teleorientação, teleconsulta e teleinterconsulta?

Seja qual for a expressão, uma coisa é fundamental para que o método funcione: videoconferência. Ligações telefônicas não bastam.
Entretanto, a videoconferência só é válida se ela acontecer dentro das regras da telemedicina, que envolvem questões desde o consentimento do paciente, em relação a valores e serviços oferecidos, até a segurança de dados.
É por isso que prezamos o atendimento em um ambiente seguro, disponibilizado através de link fornecido para o paciente mediante o pagamento do serviço.

1. Telemonitoramento

O telemonitoramento é quando o médico faz uso de uma televisita para acompanhar as condições clínicas de um paciente – é possível fazer uma avaliação visual e observar as condições da evolução da doença dermatológica que estamos tratando.

 

2. Teleorientação

Nesse sentido, a teleorientação não é muito diferente. O termo diz respeito ao que seria uma primeira avaliação com função de orientar o paciente quanto ao uso de medicamentos e tratamentos para a pele, cabelos e unhas que, em geral, não exigem receita médica controlada e hábitos que possam ajudar em sintomas de doenças cutâneas.
A teleorientação não costuma envolver grandes tomadas de decisão e serve para orientações básicas e iniciais. Utilizamos essa modalidade para retornos de consultas já agendados e para checar com o paciente se há dúvidas em relação ao que foi prescrito.

 

3. Teleconsulta

A teleconsulta, por outro lado, envolve diagnóstico, decisões médicas quanto ao tratamento a ser adotado e prescrição.
“À princípio, a primeira consulta deveria ser presencial, segundo o CFM, mas quando o governo decreta isolamento social e pede para que a população não vá ao hospital, essa é uma solução. Senão, estaríamos estimulando a automedicação e o autodiagnóstico”, explica dr Chao Wen, especialista em telemedicina.

 

4. Teleinterconsulta

A teleinterconsulta diz respeito à interação entre médicos, o que pode ajudar os profissionais em tomadas de decisão.
Em tempos de pandemia, uma das vantagens em todos esses casos é conseguir reduzir a possibilidade de contágio da população por evitar a locomoção desnecessária de pacientes com sintomas gripais ou no grupo de risco.
Além disso, o acompanhamento médico à distância permite o atendimento de doentes com outros problemas de saúde, diminuindo assim a circulação de pessoas em ambientes hospitalares.

 

A telemedicina é uma ótima opção em meio ao COVID-19

No momento, esse tipo de atendimento deveria ser oferecido para todos, independentemente do tipo de doença.
As pessoas continuam com problemas de pele, infecções cutâneas de origem viral ou bacteriana, doenças bolhosas e autoimunes, inflamatórias e medicamentosas. Elas não podem deixar de ser atendidas e precisam de especialistas que tenham experiência nesse tipo de atendimento.
Segundo o Dr Chao Wen: “Esse método deveria ser expandido para todo cuidado possível, pois o processo de serviço médico foi quebrado com essa pandemia!”. Nós concordamos e nos disponibilizamos a atender por essa modalidade durante essa crise.
Caso seja necessário, temos condições de converter a consulta para consulta presencial com todo o cuidado necessário para o paciente.

O que você precisa fazer para ser atendido por telemedicina? Basta entrar em contato por este link e falar com a nossa secretária, que dará maiores informações.

Espero que vocês tenham gostado! Até mais!

LEIA MAIS

No artigo de hoje vou contar um pouco a vocês sobre como a alimentação influencia nossa pele.

Quando definiram o genoma humano, acharam que tinham descoberto tudo e que isso ia ser a chave para a gente entender tudo o que acontece com o nosso corpo, saúde e doença.

Mas logo depois, viram que não era só isso! E que elementos do ambiente são peça fundamental no ligamento e desligamento dos genes (epigenética). Então, em 2005, definiram o termo expossoma, que significa tudo o que a gente entra em contato ao longo da nossa vida e que pode ter impacto na nossa saúde.

Em 2017, dois autores definiram o expossoma do envelhecimento cutâneo e a nutrição, ou seja, a alimentação é um desses fatores muito importantes.

E quando a gente pensa em alimentação, a gente pensa nos carboidratos, nas proteínas, nas calorias, nos minerais, nas vitaminas, mas a gente tem que lembrar da água também, que é muito importante.  Quando estamos hidratados, tudo funciona melhor, inclusive a nossa pele.

1 – Carboidratos

Tem gente, por exemplo, que gosta de consumir grandes quantidades de açúcar ou de carboidratos que vão acabar virando glicose no sangue.
A glicose tem uma propriedade diferente: quando está presente em grandes quantidades, pode reagir com as proteínas que formam os tecidos do nosso organismo, modificando essas proteínas, ela caramelizar essas proteínas.

Por exemplo: a nossa pele tem colágeno e elastina, que vão conferir a textura que a gente conhece normalmente. Quando a glicose carameliza o colágeno e a elastina, temos a flacidez, rugas, perda do contorno facial etc. Então, pense nisso da próxima vez que estiver com vontade de comer muito açúcar.

 

2 – Acne

Uma coisa que sempre me perguntam sobre o tema “alimentação influencia nossa pele” é acerca da acne. Já se sabe, por meio de estudos, que a acne pode ser modificada por conta da nossa alimentação.

Não podemos falar em alimentos que, de forma absoluta, irão causar ou melhorar a acne, para todos, porque cada indivíduo é único; então, para alguns isso vai acontecer de uma forma e para outros, de outra completamente diferente.

No entanto, o que sabemos é: toda vez que aumentamos o fator de crescimento relacionado à insulina, podemos ter sim uma maior chance de desenvolver a acne.

E quando aumentamos esse fator? Quando comemos uma dieta muito rica em calorias. Então, ao comer doces, gorduras saturadas ou tudo que tiver muitas calorias, devemos lembrar que isso pode levar a essa via metabólica, e, assim, aumentar a inflamação na nossa pele.

 

3 – Unhas e cabelos

Em relação a unhas e cabelos, o que sabemos? Que o nosso organismo prioriza tudo o que é mais importante – e unhas e cabelos são acessórios.

Chamamos isso de anexos cutâneos, então eles não são fundamentais para o funcionamento pleno do nosso organismo. Para termos unhas e cabelos saudáveis e bonitos, todo o nosso organismo precisa estar alinhado com a nossa alimentação.

Portanto, quando fazemos dieta e comemos uma quantidade reduzida de proteínas ou calorias, o cabelo e as unhas sofrem bastante esse impacto. Mas existem algumas proteínas, alguns aminoácidos, que ajudam na constituição de unhas e cabelos.

A cisteína é o principal aminoácido que forma a queratina, proteína mais abundante na nossa pele, cabelo e unhas. Alimentos ricos em cisteína, para uma pessoa que já está se alimentando da forma correta, com a quantidade suficiente de proteínas e calorias, poderia sim ter um impacto nas unhas e cabelos.

Quais são esses alimentos? Cebola, alho, couve de Bruxelas, nozes, amêndoas e alimentos de origem láctea. Todo eles têm uma grande quantidade de cisteína que vai ajudar a formar a queratina da nossa pele, cabelo e unha.

 

4 – Vitamina C

Uma coisa que precisamos entender é: temos processos oxidativos no nosso organismo. Respiramos e produzimos radicais livres e eles serão combatidos por um sistema que existe no nosso organismo: produção de substâncias antioxidantes.

Uma das coisas que funcionam nesse sentido é a Vitamina C. Então, quando ingerimos produtos ricos em Vitamina C, como frutas e verduras, temos o favorecimento desse mecanismo limpador no nosso organismo.

Porém, quando comparamos a Vitamina C que usamos de forma tópica na nossa pele e a Vitamina C que ingerimos, vemos que os resultados da aplicada na pele são superiores aos resultados que temos quando consumimos.

Isso porque, quando usamos na pele, isso vai contribuir para melhorar a oxidação que está acontecendo na pele. E, quando ingerimos, teremos um sistema mais amplo desse mecanismo, então não teremos tanto impacto na somente na pele.

Acompanhe esse vídeo e tire suas dúvidas!

https://youtu.be/tahT7zTy7Jc

 

Lembre-se sempre

Não podemos nos esquecer que a pele é o maior órgão do nosso organismo e é o nosso cartão de visitas. Para termos uma pele saudável, precisamos de um organismo saudável.
Precisamos lembrar que uma forma de conseguir isso é por meio da alimentação; então se não estamos bem alimentados, não estamos bem nutridos, e isso vai aparecer primeiro na nossa pele.
Se você gostou desse conteúdo, procure o seu dermatologista e discuta esses assuntos com ele.

Ainda tem dúvidas sobre como a alimentação influencia nossa pele? Fale comigo na rede social ou pelo whatsapp e mande a sua pergunta! Me siga também no Instagram.

LEIA MAIS

Nesse texto eu vou explicar como esses vegetais auxiliam a nossa saúde, então se você quiser entender melhor, é só continuar lendo!

Frutas e legumes são extremamente ativos na manutenção da saúde do intestino e também da nossa pele. Temos no nosso organismo algo que é conhecido como eixo intestino-cérebro-pele. Isso quer dizer que esses órgãos se comunicam de diversas formas e, muitas vezes, uma ação em um deles, pode levar a uma reação nos outros.

Sabemos que os alimentos podem influenciar na saúde do intestino e, portanto, também são capazes de influenciar a saúde da nossa pele e até mesmo o nosso humor e como a gente pensa, por exemplo!

Frutas e legumes, como um todo, são ricos em fibras e polifenóis. E por que isso é importante? Porque as fibras e polifenóis são substratos, ou seja, alimentos para as bactérias boas intestinais que vão produzir os ácidos graxos de cadeia curta.

Mas o que são esses ácidos graxos de cadeia curta? O grande exemplo que temos é o butirato que é conhecido daqueles que fazem academia! Talvez você mesmo já tenha ouvido falar desse tipo de suplementação, que a gente pode fazer!
 
Entre as vantagens dos ácidos graxos de cadeia curta tempos:

1. aumento das bactérias que são importantes para o intestino, por manter a sua saúde e funcionamento!

2. ação anti inflamatória no intestino e, em órgãos distantes, como a pele!

3. Melhora das doenças auto imunes e inflamação como um todo.
 

As frutas cítricas, que são ricas em flavononas, são importantes porque são metabolizadas pela microbiota, absorvidas no cólon (que é a parte mais distal do intestino grosso) e a fermentação vai proporcionar o surgimento das bactérias mais importantes para o intestino, que são os lactobacilos e também as bifidobactérias intestinais. Com isso temos a melhora da função de barreira do intestino e, por serem ricas em vitamina C, uma ação antioxidante no organismo como um todo, que se reflete também na nossa pele.

Os óleos vegetais, sobretudo o azeite de oliva e as azeitonas, possuem substâncias que interferem na proliferação das bactérias boas do intestino e reduzem o espaço entre as células do intestino, reduzindo a absorção de toxinas presentes nos alimentos e outras substâncias que não são interessantes para nós. Isso tudo se traduz para a pele como uma ação fotoprotetora, afinal essas substâncias possuem antioxidantes naturais, e uma redensificação da pele, que se torna mais firme!

Suco de uva, uva e vinho são ricos em resveratrol, outro suplemento bem conhecido por sua ação na longevidade celular, tanto na pele como em outros órgãos! Essa substância também tem uma ação antioxidante e anti-inflamatória.

 

O que são carotenoides?

Precisamos mencionar também os alimentos ricos em carotenoides, substâncias que dão cor amarela, laranja ou vermelha a alguns legumes e frutas! O amarelo, por exemplo, é a cor da luteína que está presente no milho. O licopeno, presente no tomate, é responsável pela cor vermelha e assim por diante.

Todas essas substâncias vão ser convertidas em um tipo de vitamina A que ativa o mecanismo de transformação de células de defesa (linfócitos T) em um tipo específico, que é chamado de T regulador. Esses linfócitos T reguladores têm a capacidade de aumentar a nossa tolerância a substâncias exógenas. Com isso, as doenças autoimunes poderiam ser moduladas no sentido de um maior controle dessa tendência.

Então, entre outras, ao consumir esses vegetais você teria as seguintes vantagens: aumento da função de barreira do intestino, aumento da produção de linfócitos T reguladores e na pele, a tão desejada diminuição da degradação do colágeno. Além disso, o licopeno como alguns já devem saber possui um importante efeito fotoprotetor.

Pessoal, era isso! Comam sempre frutas e legumes! Não deixem de fazer isso todos os dias, e, de preferência, em todas as refeições. Um beijo e até a próxima!

LEIA MAIS

Os adereços de carnaval podem causar problemas na pele e até mesmo nos olhos. No Bem Estar, o oftalmologista Renato Neves e a dermatologista Tatiana Gabbi e consultora Márcia Purceli deram dicas e falaram sobre os cuidados nesses dias de folia.

A primeira dica é: use filtro solar! Se optar pelos filtros coloridos para ‘brincar’, não esqueça de aplicar o protetor convencional antes. Quem vai curtir o carnaval ao ar livre pode optar pelo filtro solar infantil, que tem alto fator de proteção e é mais resistente à água. Outra proteção bem-vinda é o chapéu – incrementa a fantasia e bloqueia o sol.

Na hora de se preparar para a festa, as pessoas abusam da maquiagem, tinta, purpurina e até tatuagem. Evite maquiagens de baixa qualidade para não ter uma alergia. E nada de compartilhar seus produtos, para não correr o risco de compartilhar vírus e bactérias. Tinta no corpo só se tiver no rótulo o aviso: testado dermatologicamente.

Use um pó compacto antes de aplicar a purpurina. E não durma com ela no rosto. Para tirar, use demaquilante. Passe suavemente, para não irritar ou machucar a pele. Tatuagem temporária também está liberada, só fique atento a um possível processo de alergia. Cabelo colorido também pode! Os sprays saem com água e não agridem o fio.

Evite rasteirinhas e chinelos no carnaval. A melhor opção é aquele tênis confortável.

E o que está proibido? Lente de contato artificiais. Segundo o oftalmologista, essas lentes são muito grossas e tem curvatura única, diferentemente das lentes compradas em óticas e farmácias. Se quer usar lente diferente, consulte um médico. Nada de colocar purpurina nos olhos também. Se cair dentro dos olhos, pode riscar a córnea e provocar uma lesão. E óculos no sol só se tiver proteção UV.

Assista aqui o vídeo na íntrega!

Fonte: Bem Estar | www.globo.com

LEIA MAIS

Olá, eu sou a Dra. Tatiana Gabbi, médica dermatologista e especialista em unhas, cabelos e pele. Hoje quero falar com você sobre os cuidados com pele – em especial, antes de passar maquiagem. Vamos lá?

Os cuidados com pele são, frequentemente ignorados – principalmente pelas mulheres, que costumam passar maquiagem. Mas será que isso te atrapalha tanto como dizem?

Sim. Não higienizar ou hidratar a pele corretamente pode criar vários problemas na pele.

Um deles é o acúmulo de sujeira, que obstrui os poros e faz com que cravos e espinhas apareçam. Outro problema frequente da falta de cuidados com pele é o envelhecimento precoce.

E esses problemas são ainda maiores se você passa a maquiagem e não faz a higienização da forma correta. Quer saber como evitar isso? Fique comigo até o final.

 

Cuidados com pele: rotina manhã e noite

Antes de te contar como preparar a sua pele para uma boa maquiagem, quero te mostrar como fazer os cuidados com pele de manhã e de noite.

Se você usar esses produtos todos os dias na ordem que vou te passar, as chances de ter problemas de pele serão bem menores.

Manhã

1 – Gel de limpeza ou sabonete

2 – Águas termais ou mists

3 – Hidratante

4 – Sérum antioxidante

  • Você pode usar um protetor contra radiação infravermelha, luz azul e poluição.

5 – Filtro solar complementar

Para passar maquiagem, você pode usar o Primer logo depois do filtro solar e depois então a base. Mas se você quiser ser mais econômica, pode usar o BB cream – só se for uma maquiagem leve.

 

Noite

Para a noite, você pode seguir alguns produtos anteriores, mas com algumas diferenças:

1 – Gel de limpeza ou sabonete

2 – Águas termais ou mists

3 – Tônico, ácidos ou esfoliantes químicos

4 – Retinol (só se não for usar o ácido)

5 – Sérum antioxidante

  • Você pode usar um protetor contra radiação infravermelha, luz azul e poluição.

6 – Hidratante

7 – Filtro solar complementar (caso vá sair de casa à noite)

 

Como preparar a pele para a maquiagem?

 

 

É necessário investir em cuidados com pele antes da maquiagem também, independente de já ter feito isso durante a manhã ou na noite anterior, antes de dormir.

Mas para ficar um pouco mais explicativo e menos extenso, fiz um vídeo com essas dicas. É só clicar em cima do vídeo e aprender um pouco mais sobre os cuidados com pele antes de continuar lendo o artigo.

Pronto. E aí, vamos para os cuidados com pele? Independente de usar maquiagem ou não durante o dia, é importante seguir o que vou te falar a seguir.

 

7 cuidados com pele se você passa maquiagem

1 – Identifique qual é o seu tipo de pele – normal, seca ou oleosa – e use o produto de acordo com ele.

2 – Higienize sua pele do jeito certo – siga os passos que falei aqui e no vídeo.

3 – Remova a maquiagem, sempre – use os produtos corretos para isso, que é o demaquilante, mesmo antes de higienizar.

4 – Use o tônico facial – ele ajuda na limpeza da pele de forma profunda, tirando as sujeiras que outras fases dos cuidados com pele não alcançaram.

5 – Esfolie o seu rosto – faça isso frequentemente caso sua pele seja oleosa, já que a esfoliação pode remover as células mortas da pele e incentivar a renovação das células e do colágeno.

6 – Use protetor solar sempre – independente de ter sol ou não, os raios ultravioletas estão sempre lá e podem provocar câncer de pele. Por isso, a proteção solar é tão importante.

7 – Hidrate a sua pele todos os dias – um dos cuidados com pele mais importantes é a hidratação. Isso porque ela protege a pele e faz com que ela cumpra as funções da forma certa; você pode fazer isso com hidratantes tópicos, sejam fluidos ou pesados. Além disso, tome 2 litros de água por dia, que é o recomendado para o bom funcionamento do corpo.

 

E então, ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário lá no meu Facebook.

LEIA MAIS

Atendo no meu consultório em São Paulo, mas dedico uma parte substancial do meu tempo ensinando as futuras gerações.

Faço parte do corpo clínico do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, uma instituição centenária e exemplar. Sou muito grata à minha profissão, meu ikigai. Que todos possam ser felizes e plenos e que vivam em paz e harmonia.

Feliz dia do dermatologista para todos os meus colegas!

Sobre a SBD

Com quase 10 mil dermatologistas em atividade, cuidando da saúde e do bem-estar de milhões de pessoas em todo o Brasil, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) lançou um minidocumentário que destaca a formação profissional e ética desses especialistas comprometidos com a qualidade do atendimento em diferentes frentes da dermatologia como a clínica, a cirurgia e a cosmiatria.

O vídeo faz parte das comemorações pelo Dia do Dermatologista (5 de fevereiro). Não deixe de assistir!

 

Fonte: SBD | Sociedade Brasileira de Dermatologia

LEIA MAIS

Você sabia que a poluição pode ter impactos negativos na sua pele?

Os poluentes são substâncias que existem na atmosfera, mas que não estão na atmosfera original. São elas:

  • Substâncias biológicas;
  • Substâncias físicas;
  • Substâncias químicas.

Elas alteram a composição original da atmosfera e podem prejudicar alguns aspectos da nossa vida e corpo; um deles é a pele.

Isso porque ao entrar em contato com a pele, esses poluentes também ficam em níveis maiores no sangue.

Ou seja: os poluentes são absorvidos pela pele, podendo escurecer e gerar manchas, por exemplo.

Quer saber melhor sobre o que é a poluição, quais são os poluentes e quais são os efeitos disso para a sua pele?

Veja esse vídeo, que eu explico tudo para você! Nesse texto aqui, também falo sobre a sua pele!

Ah, e se tiver alguma dúvida sobre o assunto, é só deixar um comentário no Facebook que eu te respondo:

LEIA MAIS