Notícias/Artigos

Blog

14 de agosto de 2018 unhas por dratatigabbi 2 Comentários

Onicomatricoma: o que é isso?

Talvez você nunca tenha ouvido falar sobre isso, mas se chegou até aqui, é possível que você tenha recebido esse diagnóstico e decidiu se informar sobre o que seria essa doença.

O onicomatricoma é um tumor benigno derivado das células da matriz da unha, a fábrica que produz a lâmina, que é a parte dura.

Portanto, a unha que vai ser formada a partir dele vai ser um pouco mais grossa que a unha normal, uma vez que a estrutura que dará origem a ela se apresenta proliferada.

Em geral, temos um espessamento em faixa na região correspondente à presença do tumor. Na maioria das vezes essa região da unha estará espessada e amarelada ou esbranquiçada.

Em algumas situações, no entanto, a unha fica escurecida, porque alguns tumores dessa região podem exibir essa característica.

Além disso, é importante frisar que a presença de micose não afasta esse diagnóstico e o onicomatricoma pode, inclusive, facilitar a instalação do fungo.

Portanto, micoses que não melhoram estão restritas a uma parte da unha e/ou exibem abaulamento da dobra proximal devem ser investigadas com ultrassonografia ou ressonância magnética para confirmar a presença do tumor.

O tratamento desse tipo de lesão consiste na exposição da matriz, com corte da região proliferada, que é enviada para exame histopatológico. Esse exame irá confirmar o diagnóstico de onicomatricoma.

Em geral, o procedimento deixa sequelas mínimas, permite o diagnóstico e resolve o quadro.

Gostou ? Compartilhe!

2 Comentários

  • Tatiane
    17 de agosto de 2018 at 16:48 Responder

    Boa tarde ,Dra . Minha filha de 4 anos foi diagnosticada com onicomatricoma ,qual procedimento a tomar ?

    1. dra. tatiana gabbi
      21 de setembro de 2018 at 07:19 Responder

      Olá Tatiane, o onicomatricoma é um tumor benigno que cresce. É muitissimo raro aos 4 anos de idade!!! Em principio acho dificil ser isso pela raridade, mas não examinei! É importante complementar com exames de imagem, mas o correto é fazer o procedimento cirúrgico para retirar a lesão e mandar para o exame que vai confirmar ou afastar essa possibilidade. Isso já resolve o problema e ainda dá o diagnóstico correto final.
      Espero ter ajudado!

Deixe um Comentário