Olá pessoal! Eu sou a Dra. Tatiana Gabbi, médica dermatologista, e o assunto que quero discutir com vocês hoje é sobre unhas infantis e doenças que podem estar associadas.

Você sabia que o hábito de roer unhas, uma unha encravada ou micoses nas unhas podem indicar inflamação ou infecções?

A saúde das crianças também pode ser avaliada pela observação visual de diferentes partes do corpo como pele, unhas etc. – e as unhas infantis revelam muito sobre possíveis doenças que acometem as crianças.

Em alguns casos o tratamento caseiro orientado por um médico dermatologista é suficiente, porém em outros é necessário a intervenção.

Este post é para você ficar por dentro do assunto e sanar algumas dúvidas que possam surgir.

Continue lendo!

 

Sintomas nas unhas infantis que podem indicar doenças

Algumas doenças podem ter manifestações nas unhas infantis. Trataremos neste post sobre:

– Roer as unhas

– Unhas frágeis

– Riscos escuros nas unhas

Confira:

O hábito de roer as unhas

É normal e esperado que as crianças roam as unhas, elas levam a mão na boca e tudo mais, e isso pode acontecer entre certa faixa etária (3 a 5 anos de idade). Muitas vezes esse hábito de roer as unhas, vem até associado a retirada da chupeta.

O problema todo é quando esse tipo de hábito vai se perpetuando para além dessa faixa etária.

O roer das unhas infantis as torna fragilizadas, além disso, existem problemas associados.

Confira alguns:

 

1- Paroníquia aguda

A boca é o lugar do nosso corpo que mais tem bactérias, embora muitos não saibam. Portanto, se a preocupação da criança levar a mão à boca e transmitir bactérias para a boca é válida, o inverso também é.

Ao roer as unhas, essas bactérias presentes na nossa boca e dentes, passam para as unhas, e acabam danificando a estrutura das unhas infantis.

Isso pode levar a uma paroníquia aguda, que é a inflamação dos tecidos em volta da unha, algo frequente na prática dermatológica, e que necessita de drenagem.

 

2- Depressão e ansiedade

O hábito de roer as unhas pode estar associado como uma consequência de uma depressão ou ansiedade na criança, que deve ser averiguado.

 

3- Problemas odontológicos

O fato de roer as unhas pode modificar a boca, a arcada dentária e levar a um problema odontológico.

 

4- Verrugas

A verrugas podem aparecer em crianças que roem as unhas e também são comuns no caso de hiperidrose, situação de suor excessivo nos pés das crianças.

No caso de verrugas infantis, o melhor tratamento é com  ácido no consultório. É relativamente pouco doloroso e feito com muito cuidado para não causar uma lesão na matriz ungueal, e apresenta resultados muito bons.

Em alguns casos, é aconselhado também a introdução de uma vitamina oral, como por exemplo, o zinco, para ajudar na melhoria da imunidade contra o vírus do HPV que é a causa das verrugas.

É importante salientar que, no caso de verrugas, não se deve cortar ou lixar a verruga para que ela não se espalhe para os outros dedos.

 

Tratamento

É um tratamento multidisciplinar, existem alguns medicamentos que podem ser administrados para diminuir a vontade de roer as unhas, mas somente essa ação não resolve o problema.

É necessário entender o que está por trás do hábito de roer as unhas, que pode ser relacionado também com a depressão e ansiedade. Precisamos descobrir o motivo disso e tentar desviar o foco para outra coisa.

Uso de esmaltes como medida contra o roer as unhas

Esse comportamento de roer as unhas é mais frequente em meninos do que em meninas, até associado ao comportamento das meninas de querer embelezar as unhas, o que serve como um gatilho para diminuir esse tipo de hábito.

Fazer as unhas é sim uma forma de lidar com o hábito de roer as unhas, mas é preciso tomar alguns cuidados:

– Esmaltes que usamos tem uma série de substâncias que podem inclusive acelerar a puberdade, os disruptores endócrinos. Portanto é aconselhado buscar por esmaltes apropriados para essa faixa etária, que são esmaltes em base água, que sai quando a criança lava as mãos.

– Esmalte com gosto não é tanto um problema, algumas crianças até aprendem a gostar do sabor ruim do esmalte, o grande problema aqui é em relação a pimenta. Algumas crianças levam os dedos aos olhos e isso pode ser um problema, portanto, quando optar por isso, tome cuidado pois pode acabar machucando o olho da criança.

 

Unhas frágeis

A principal causa de unhas frágeis em crianças é a questão de roer as unhas, como dito anteriormente.

A segunda causa são doenças inflamatórias como a psoríase,  por exemplo.

 

1- Doenças inflamatórias

Nas crianças, não é infrequente observarmos manifestações de doenças inflamatórias que são localizadas nas mãos, e pode ser exclusivo das unhas. Ou seja, a criança não tem nenhuma manifestação dessas doenças inflamatórias na pele, somente nas unhas.

Na minha prática, nesses casos, não costumo fazer a biópsia em crianças, eu começo o tratamento e acompanho, pois considero a biópsia algo traumático, e geralmente, a manifestação que mais vemos em crianças é a traquioníquia (que é um quadro onde vemos várias estrias paralelas nas unhas, um aumento da cutícula e uma fragilidade ungueal).

Isso pode representar uma doença inflamatória como:

– Psoríase

– Líquen plano

– Alopecia areata

– Entre outras.

Esses casos necessitam de tratamento, mas não precisam de biópsia, pois o tratamento é comum para esses 3 casos. Só precisamos ficar de olho na evolução, pois a depender desta evolução, um tratamento mais substancioso se fará necessário.

ATENÇÃO:

Essas doenças podem piorar com o uso de álcool em gel, então temos que tomar muito cuidado, principalmente nesse momento em que estamos usando muito essa substância, com crianças que têm fragilidade ungueal que em geral são causadas por doenças inflamatórias, e buscar tratamento.

 

2- Doenças auto imunes

Algumas doenças inflamatórias, como o Líquen Plano, que é aquela unha bem fininha, que está evoluindo para uma anoniquia (ausência da unha), é necessário pesquisar doenças auto imunes, principalmente a doença da tireóide, que é muito associada em crianças.

 

Riscos escuros

Se você observar riscos escuros nas unhas infantis, o que chamamos de melanoníquia estriada, é importante que você marque uma consulta com um médico dermatologista, para que seja acompanhada a evolução dessa unha e sejam descartados problemas mais sérios, como a melanoma.

Quero deixar muito claro, no entanto, que melanoma nesta faixa etária, é extremamente raro, mas sempre devemos acompanhar.

Nesse tipo de caso, o tratamento de escolha para esse tipo de quadro é o acompanhamento clínico com fotografia.

Se houver um alargamento da faixa ou a lesão mudar muito a sua característica, aí entramos com a biópsia, que deve ser enviada a um dermatopatologista experiente com esse tipo de lesão.

 

Fique atento a esses sinais, e busque ajuda de um médico dermatologista!

Se observar qualquer problema nas unhas, procure um médico dermatologista. Caso necessite, podemos marcar uma consulta, clique aqui para entrar em contato.

Você pode entrar em contato ou deixar seu comentário nesse post caso tenha ficado alguma dúvida – estou aqui para ajudá-los!

P.S.: Não esqueça de me seguir no Instagram. Compartilho muitas informações por lá, e respondo dúvidas. Te vejo no próximo post!

 

Publicado por Dra. Tatiana Gabbi

LEIA MAIS