Olá a todos! Eu sou a Dra. Tatiana Gabbi, médica dermatologista, e o assunto que quero tratar aqui hoje é unha encravada em bebê!

As unhas encravadas podem acometer qualquer faixa etária, inclusive bebês e recém nascidos – e o tratamento deve ser iniciado o quanto antes, para evitar agravamento da condição ou até futuras sequelas.

Entenda mais sobre essa condição, como preveni-la, o que você pode e deve fazer caso ela aconteça e também o que NÃO PODE ser feito se o seu bebê estiver com as unhas encravadas no texto de hoje!

 

O que é a unha encravada e por que ela ocorre?

A unha encravada é caracterizada por quando a borda desta unha cresce e entra na pele ao redor do dedo, podendo ocasionar dor, inchaço, vermelhidão e até infecção. Uma unha se encrava devido a vários fatores, como colocar pressão extra sobre as unhas e corte incorreto.

O corte incorreto é quando as unhas são deixadas muito curtas ou com as bordas arredondadas ao invés de retas.

Sobre pressão extra, é o caso de, por exemplo, uso de sapatos muito apertados ou largos, ou deformidades pré-existentes. No caso de bebês, essa pressão ocorre quando usam, por exemplo, meias e macacões que vestem até os pés, os tip tops.

 

Unha encravada em bebê

A unha encravada pode ocorrer na primeira infância, em recém nascidos e alguns bebês podem até já nascer com as unhas dos pés encravadas.

Isso acontece devido a um aumento congênito da pele que fica ao redor da unha do bebê ou, ainda, devido a um desalinhamento entre o eixo do dedo e o eixo da unha.

Como explicado anteriormente, meias e sapatinhos apertados, que pressionam os pés do bebê, bem como macacões que cobrem os pés (tip tops) podem ser causadores do problema ou agravar ainda mais a condição das unhas encravadas.

 

O que fazer se meu bebê apresentar esse quadro?

A primeira coisa que você tem que saber sobre o tratamento de unhas encravadas em bebê é que, se você tem uma criança com esse problema, não tente cortar a unha ou desencravar sozinho! Isso pode agravar o quadro e levar à infecção do dedo.

A atitude mais correta é procurar um médico dermatologista, para iniciar o tratamento o quanto antes.

É comum que essa doença apresente resolução espontânea, apesar do tratamento, o que faz com que nem sempre o acompanhamento médico seja necessário, no entanto, a consulta é importante, especialmente em casos onde haja inflamação, infecção, dor ou deformidade.

Estou disponível para vídeo consultas enquanto durar a pandemia, e também atendo de forma presencial, no meu consultório no bairro Jardim Paulista, com horários espaçados e todos os cuidados necessários para garantir o bem estar dos pacientes nesse momento que estamos vivendo.

Se você quiser marcar uma consulta, você pode clicar aqui para entrar em contato!

Mas há sim atitudes que podem e devem ser tomadas em casa até a consulta com o médico. Aqui vão algumas dicas do que se fazer nesse caso:

 

7 atitudes que você deve ter no caso de unhas encravadas em bebê

1. Evite o uso de macacões tipo tip-top

2. Certifique-se que meias e sapatos não estejam apertando os dedinhos. Caso necessário, você pode fazer um pequeno orifício nelas onde o dedo que está com a unha encravada se encontra.

3. Corte as unhas de forma reta, e não arredonde os cantinhos.

4. O corte das unhas deve ser feito quando elas estiverem úmidas

5. Não corte ou cutuque a unha encravada em hipótese alguma

6. Higiene! Limpe o local com sabonetes antissépticos, mesmo que o bebê reclame. Caso tenha dificuldade em fazer isso, você pode colocar os pés do bebê de molho em uma solução com sabonete e água e depois enxaguar de forma abundante.

7. Consulte um médico dermatologista para iniciar o tratamento adequado.

Felizmente há tratamento para esses pacientes, e a grande maioria deles não precisará de tratamento cirúrgico! Confira a seguir sobre o tratamento:

 

Como é o tratamento de unhas encravadas em bebê?

A escolha do tratamento vai depender do quadro clínico da criança, sua idade, condição geral de saúde e existência ou não de outras doenças, e também do quão grave a condição de encravamento está.

Como a pele nessa faixa etária é muito fina, podemos fazer tratamento com pomadas, massagens e curativos, com excelentes respostas! Apenas uma pequena parte desses pacientes vai continuar com os sintomas, levando à necessidade de cirurgia.

É possível administrar cremes tópicos com antibióticos (associados ou não à corticoides) antibióticos orais, uso de curativos e órteses, mas tudo vai depender dessa avaliação feita pelo médico dermatologista.

Caso o grau de inflamação e encravamento esteja elevado, causando dor extrema, ou exista doenças pré existentes como a diabetes, por exemplo, a cirurgia pode se fazer necessária.

A intervenção cirúrgica mais comum para unhas encravadas em bebês consiste na retirada da pele que cresceu ao redor da unha, e muitas vezes a necessidade de pontos é dispensada.

 

Quanto tempo dura o tratamento?

O tratamento clínico é longo e pode levar meses. Quanto mais cedo o tratamento for iniciado, melhor – dessa forma evita-se a evolução para quadros piores da condição, bem como sequelas.

 

Você ainda tem dúvidas?

Existem várias formas de tratamento para os problemas de unhas infantis. Para que sejam efetivos, é necessário consultar com um dermatologista.

Caso você tenha dúvidas à respeito de unhas encravadas ou outros problemas de unhas em crianças, você pode comentar a sua dúvida aqui embaixo ou falar lá nas minhas redes sociais:

– Facebook

– Instagram

PS: Se esse é um tipo de conteúdo que te interessa, me segue lá no Instagram, onde posto muitas coisas legais!

Um beijo, e até a próxima!

Publicado por Dra. Tatiana Gabbi

LEIA MAIS