Olá! Eu sou a Dra. Tatiana Gabbi, médica dermatologista, e hoje quero conversar com vocês sobre o sol: ele é seu amigo ou inimigo?

É inquestionável a necessidade de se usar filtro ao se expor ao sol por períodos prolongados, seja na praia ou durante exercícios ao ar livre.

A grande questão é o uso diário do filtro solar:

– É importante?

– Todos devem usar?

– E a vitamina D, como é que fica?

Para tirar essas dúvidas e entender a importância de se proteger do sol, continue lendo!

 

Importância de se proteger do sol

Para entender a importância de se proteger do sol e a necessidade de utilizar um filtro solar adequado, primeiro vou explicar sobre os Raios UV, que você provavelmente já ouviu falar!

Raios UV

A radiação ultravioleta afeta todas as camadas da pele (epiderme, derme e hipoderme). A primeira a sofrer alterações é a derme com posterior repercussão para epiderme.

Essa radiação altera a matriz extracelular da derme. Diminuindo a produção de proteínas, o que prejudica o remodelamento celular e gera radicais livres, os quais causam inflamação e dano do tecido cutâneo.

Os raios ultravioletas são divididos em:

UVA: Penetram a pele mais profundamente e são eles que alteram a pigmentação (manchas), provocam o fotoenvelhecimento e podem levar ao câncer de pele.

UVB: Penetram a pele superficialmente e causam eritema (vermelhidão), queimaduras e ardência.

Além disso, os RUV são capazes de provocar diversas doenças dermatológicas (fotodermatoses) ou agravar outras doenças (Dermatoses fotoagravadas).

Além da RUV, temos os Raios Infravermelhos e Luz Visível, que degradam a matriz extracelular da derme, modificam a composição lipídica da camada córnea (uma das camadas da epiderme) e alteram a pigmentação da pele.

A radiação ultravioleta pode atingir uma camada superficial da sua pele (a epiderme), mas a radiação infravermelha e a luz visível atingem sua derme.

Isso interfere no seu colágeno – proteína que dá firmeza para a sua pele – e faz com que você sofra com o envelhecimento antes da hora.

Um outro ponto é que a luz visível pode piorar ou até desencadear várias doenças na pele, como melasma (manchas), alergias e urticária.

 

O uso do filtro solar

A exposição diária ao sol gera alterações irreversíveis e cumulativas no DNA das nossas células da pele.

Com o tempo, como vimos, a produção de colágeno e da elastina, responsáveis pela firmeza e elasticidade da pele, fica menos efetiva, além de surgirem manchas características que denunciam o passar dos anos.

Uma forma de prevenir tudo isso é o uso diário do filtro, sobretudo na pele do rosto e das mãos.

Nesse tópico, ainda temos os portadores de câncer de pele ou de doenças que pioram com o sol. Nesses casos, não há o que fazer: o filtro solar é necessário para evitar que mais dano solar se some ao que já aconteceu.

Quanto mais jovem o indivíduo estiver ao desenvolver o câncer de pele, mais importante é o seu uso diário.

 

E quanto à produção de Vitamina D?

A vitamina D é essencial para a nossa saúde, e é produzida na pele e com a exposição ao sol mais forte, das 10h às 16h.

Para fazer vitamina D, o colesterol da pele precisa ser quebrado pelo UVB do sol e então absorvido pelo organismo. Confira agora alguns fatos sobre como lidar com a produção de vitamina D e exposição ao sol.

7 fatos sobre vitamina D e exposição ao sol

1. Ainda não há filtros que garantam a produção de vitamina D, porém o uso típico dos atuais não parece bloquear a sua produção, segundo estudos.

2. A recomendação deve ser individualizada: quem já teve ou tem câncer de pele ou tem risco elevado para o seu desenvolvimento não deve se expor ao sol sem usar filtro solar e outras medidas fotoprotetoras.

3. Pessoas com doenças que pioram com a exposição ao sol tampouco devem se expor ao sol com o objetivo de produzir vitamina D. Tanto aqui como no caso anterior, pode ser adotada a suplementação sistemática.

4. Para produzir vitamina D, não é necessário ficar vermelho!

5. Cada um precisa de uma dose variável de sol, que é menor nos indivíduos de pele mais clara pq a melanina compete por energia.

6. Ficar bronzeado é uma péssima estratégia!

7. Em média, 10-20 min do sol do meio dia 3x por semana braços e pernas no nosso país dá conta do recado!

Sol, amigo ou inimigo?

Retomando a pergunta feita na introdução, a resposta é que o sol É AMIGO, mas pode ser nocivo se não soubermos lidar com ele!

Você ainda tem alguma dúvida sobre esse conteúdo? Deixe abaixo nos comentários!

PS: Para mais conteúdos sobre dermatologia e nutrologia, me siga no Instagram! Sempre posto diversos tipos de conteúdos interessantes por lá! É só clicar aqui!

Publicado por Dra. Tatina Gabbi

 

Tags: ,
LEIA MAIS

Hoje estive no Panorama da TV Cultura juntamente com a Dra. Juliana, do Hospital AC Camargo, discutindo questões referentes aos cuidados com a pele no verão.

Foi uma experiência incrível nos estúdios da TV Cultura e fiquei extremamente feliz por ter participado.

Achei o programa bastante esclarecedor, pois falamos sobre uma série de mitos que envolvem o tema, como o uso do filtro solar e a questão da vitamina D, por exemplo.

O resultado você confere neste link.

Seguem fotos do programa.


LEIA MAIS

A convite do UOL, fui à praia Riviera de São Lourenço, em Bertioga, fazer uma palestra ao vivo no Espaço Viva Bem sobre fotoproteção, na sexta-feira passada.

Você pode conferir o vídeo neste link.

Iniciei a palestra falando sobre as características das lesões malignas e sobre a necessidade de proteger a nossa pele quando nos expomos ao sol.

Afinal, um dos fatores de risco mais importantes para o surgimento do câncer de pele é justamente a radiação ultravioleta!

Na sequência expliquei um pouco sobre o Verão Laranja, campanha da Sociedade Brasileira de Dermatologia que visa esclarecer a população sobre os mitos e verdades da exposição solar, além de orientar e incentivar o diagnóstico precoce do câncer de pele.

Falamos, também, sobre a vitamina D e como fica essa situação quando usamos filtro solar.

Segundo um estudo conduzido pela SBD, os níveis de vitamina D não sofrem com a exposição solar protegida, apenas ficam baixos quando o paciente realmente evita o sol.

Fechei a palestra esclarecendo algumas dúvidas comuns de consultório sobre pele e cabelos.

Falei sobre queimaduras solares e o cabelo verde que pode aparecer após banhos de piscina.

Foi muito legal ter participado e espero que vocês gostem do vídeo. Seguem fotos do evento.

LEIA MAIS

Todos sabemos da importância do filtro solar quando nos expomos ao sol por períodos prolongados, seja na praia, piscina ou durante atividades esportivas ao ar livre. Mas uma dúvida que muitos têm é em relação ao uso diário do filtro solar. É importante? Todos devem usar? E a vitamina D, como é que fica?

A exposição à luz solar gera alterações irreversíveis e cumulativas no DNA das nossas células da pele. Com o tempo, a produção de colágeno e da elastina, responsáveis pela firmeza e elasticidade da pele, fica menos efetiva. Além disso, surgem manchas características que denunciam o passar dos anos. Uma forma de retardar e prevenir tudo isso é com o uso diário do filtro solar, sobretudo na pele do rosto e das mãos.

Algumas pessoas desenvolvem câncer de pele ou doenças cutâneas que pioram com o sol. Nesses casos, não há o que fazer: o filtro solar é necessário para evitar que mais dano solar se some ao que já aconteceu. Quanto mais jovem o indivíduo quando desenvolveu o câncer de pele, mais importante é o uso do filtro solar diariamente.

 

Vitamina D  filtro solar

Quanto à produção de vitamina D: realmente a vitamina D é produzida na pele e com a exposição ao sol mais forte, aquele das 10h às 16h. Isso porque a gordura presente na pele (colesterol) precisa ser quebrada pelo UVB do sol para ser absorvida pelo organismo.

Sobre esse tema, temos 5 reflexões importantes:

1) Ainda não existem filtros solares que permitem a produção de vitamina D, mas eles estão em estudo e devem surgir futuramente!

2) Por enquanto a recomendação deve ser individualizada: pessoas que já tiveram câncer de pele, que têm câncer de pele ou com risco elevado para o desenvolvimento desse tipo de problema não devem se expor ao sol sem o uso do filtro solar e de outras medidas fotoprotetoras.

3) Pessoas com doenças que pioram com a exposição ao sol tampouco devem se expor ao sol com o objetivo de produzir vitamina D. Tanto aqui como no caso anterior, é necessário suplementar esses indivíduos, se porventura eles sejam deficientes. Em alguns países, adota-se a suplementação sistemática nesses casos.

4) Para produzir vitamina D, não é necessário ficar vermelho! Precisamos de uma dose que varia de pele para pele, sendo menor nos indivíduos de pele mais clara e maior naqueles de pele mais escura. Isso acontece porque a melanina atrapalha a produção de vitamina D, então ficar bronzeado não é uma boa estratégia para quem é deficiente da vitamina D.

5) Em média, no nosso país, necessitamos de 10-20 minutos de sol do meio-dia, 3 vezes por semana, com exposição de braços e pernas. A exposição excessiva ao sol consome a vitamina D produzida, uma vez que ela acaba sendo utilizada no reparo dos danos causados pele sol.

 

Para saber mais:

E aí, o que achou? Ainda tem dúvida sobre o filtro solar para a sua pele? É só ir no meu instagram e deixar uma pergunta lá – vou ficar muito feliz em te responder. Ou entre em contato e agende a sua consulta.

 

Obrigada e até a próxima!

Postado por Tatiana Gabbi

LEIA MAIS