A Série Manual do Médico-Residente do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – HCFMUSP tem por objetivo difundir os conhecimentos da prática e assistência médica, altamente qualificadas, ora desenvolvidas no complexo HCFMUSP, por sinal, o maior da América Latina. O complexo HCFMUSP dispõe de um centro médico hospitalar amplo, bem estruturado e moderno, com os melhores recursos diagnósticos e terapêuticos para o treinamento adequado dos residentes.

Assinala-se os residentes contarem permanentemente com médicos preceptores exclusivos, médicos-assistentes e docentes altamente capacitados para o ensino da Medicina em seu viés prático – a base da residência médica.

A Série Manual do Médico-Residente do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina Da Universidade de São Paulo – HCFMUSP será útil não apenas para os residentes do próprio HC, como será também validada e seguida por outros centros acadêmicos e de formação profissional de Medicina nas diversas regiões do Brasil.

Atualmente, os programas de residência médica dessa instituição abrangem quase todas as especialidades e áreas de atuação médica. Totalizam cerca de 1.600 médicos em treinamento.

No volume Dermatologia – aborda a semiologia dermatológica, classifica as inúmeras dermatoses de acordo com a etiologia e topografia, e serve como guia prático para o diagnóstico e as condutas das aqui referidas dermatoses. Seu texto é de didática e dinâmica, marcado por exposição linear e inteligente, além de ser ricamente ilustrado em cores.

Dra. Tatiana Gabbi escreveu sobre as doenças das unhas que são muito frequentes na prática diária do médico dermatologista. Apesar de serem estruturas relativamente pequenas, alterações ungueais estão associadas a dor e a inflamação persistentes. O capítulo aborda doenças relativamente comuns do aparelho ungueal, as quais todo dermatologista deve saber reconhecer a fim de orientar o tratamento.

LEIA MAIS

Via: R7 | Saúde

O câncer de unha, apesar de raro, manifesta-se de diversas formas e requer atenção para que o tratamento seja feito o mais rápido possível. Em estágio avançado, a doença pode resultar em amputação do dedo.

A médica dermatologista Tatiana Gabbi, assessora do Departamento de Cabelos e Unhas da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia), afirma que pessoas leigas podem confundir o câncer com uma micose, que é uma infecção causada por fungos.

“Tem muita gente que acredita que as únicas coisas que aparecem na unha são micose ou unha encravada. Na verdade, tem um monte de doença diferente. Um médico não vai fazer essa confusão. Às vezes, até faz, se não for uma pessoa especializada.”

A dermatologista explica que são dois os tipos mais comuns de tumores malignos que afetam as unhas: o carcinoma espinocelular e o melanoma.

“O carcinoma é mais frequente que o melanoma. Ele acontece no leito da unha, aparece como uma ferida e não cicatriza. É comum ter descolamento da unha e por isso ser confundido com uma micose. Mas na micose, a unha fica mais grossa, no carcinoma, não.”

Os melanomas se dividem em dois tipos, podem aparecer no leito da unha, ou seja, embaixo dela, ou na matriz, que é atrás da cutícula, onde ela cresce.

“O melanoma do leito é muito parecido com um carcinoma. Pode aparecer em qualquer faixa etária, mas é mais comum em adultos, principalmente depois dos 50 anos. O descolamento da unha também ocorre, mas existe sangramento”, acrescenta a dermatologista.

O tipo que afeta diretamente a unha é o melanoma da matriz, onde ela nasce.

“Como a matriz tem células que produzem pigmentos, melanócitos, ele se prolifera, escurece a matriz e ela começa a produzir uma unha que é escura também. Então, você vê uma faixa escura na unha que vai se alargando com o passar do tempo”, observa Tatiana.

“O melanoma tem vários tons, como marrom e castanho, e fica na unha mesmo. Se cortar, você vê que a unha é escura. Nem tudo que mancha a unha é melanoma, porque pode ter manchas, acrescenta.

A médica destaca que pode haver outras causas de pigmentação, como pintas, manchas raciais ou por trauma. A principal recomendação é que se procure um dermatologista após identificar alguma alteração na unha.

Será feita uma biópsia, que em nada afeta a estrutura da unha, e, em caso de tumor maligno, o médico vai decidir qual é a melhor forma de remover o câncer.

“Quando o câncer de unha é uma faixa escura na unha, é um tumor inicial. O mais avançado já destruiu toda a unha. Quando está discreto, é inicial, se consegue fazer um procedimento simples de remoção da unha. Ela não volta a nascer, mas tem mais de 90% de chance de cura.”

Em casos mais extremos, pode ser necessário amputar o dedo. “É um tumor maligno que pode espalhar pelo corpo, ressalta a médica.”

Tatiana Gabbi ressalta que o câncer de unha prevalece na população adulta, tendo maior incidência a partir dos 50 anos.

Outra recomendação da médica é que ao detectar uma anormalidade na unha não se faça qualquer tipo de intervenção como tentar arrancar ou procurar profissionais que não sejam médicos.

Ao contrário do que chegou a ser difundido na imprensa, a luz utilizada na aplicação de esmalte de gel não provoca câncer, segundo a dermatologista.

“A luz dessas câmaras é menos importante do que a luz do sol, por exemplo. A própria unha protege contra a radiação, que é baixa.”

 

Tumor benigno, mas dolorido

Mais comum dos que os tipos malignos, tumor glômico é benigno, mas provoca dor intensa em quem tem.

“Nós temos uma estrutura na ponta dos dedos que contrai os vasos no frio para que a circulação seja priorizada na parte central do corpo. O tumor glômico é uma proliferação dessas estruturas, dói muito com frio, quando bate, quando mexe”, afirma a médica.

Esse tipo de tumor, semelhante a um sagu, pode apresentar uma lesão azulada na unha ou uma faixa vermelha e requer remoção cirúrgica.

Fonte: R7 | noticias.r7.com/saude

LEIA MAIS

A atividade foi coordenada pelo Diretor de Comunicação da Sociedade Brasileira de Dermatologia – Regional São Paulo, Moyses Lemos e pelo Dr Renato Soriani, junto com os professores Gustavo Alonso, Tatiana Gabbi, Bel Takemoto realizaram o Curso de Consultório em Foco.

Foram abordados temas relevantes para o dia a dia do dermatologista, com foco total na Gestão do Consultório. Endomarketing, redes sociais, planejamento, marketing digital, fotografia , contabilidade foram alguns dos temas apresentados para os médicos que lotaram o curso.

LEIA MAIS

Apresentarei uma aula sobre Anatomia da Unha e seu impacto no sucesso dos procedimentos cirúrgicos dessa região!!
E no pré congresso, também irei ministrar um curso ao vivo de cirurgia do aparelho ungueal juntamente com o Dr Nilton Gioia!
É uma oportunidade de transmitir minha experiência de 11 anos em cirurgia do aparelho ungueal para os meus queridos colegas dermatologistas!
Vejo todos vcs lá! Vai ser incrível! Lets GO19!

LEIA MAIS

No fim desta semana eu embarco para o Rio de Janeiro, pois irei participar do 12º Simpósio de Cosmiatria e Laser e 2º Simpósio de Envelhecimento da SBD na Barra da Tijuca.

Fui convidada pela coordenação do evento para palestrar sobre os Nutracêuticos em Dermatologia.

Os nutracêuticos são suplementos orais derivados de alimentos que trazem benefícios para a saúde, seja no tratamento, seja na prevenção de doenças.

No entanto, mais importante do que suplementar a nossa dieta é garantir que a nossa alimentação seja a melhor possível.

Devemos preferir alimentos frescos e feitos em casa a alimentos processados, enlatados ou industrializados.

Outra dica importante é aumentarmos a ingestão de verduras, legumes e frutas e reduzir o consumo de frituras e doces.

Dessa forma, garantimos um aporte de nutrientes ao nosso organismo, que ajudam a prevenir uma série de problemas para a nossa saúde e, ainda por cima, melhoram a qualidade da nossa pele.

O envelhecimento da pele acontece por meio de uma série de reações que são conhecidas como estresse oxidativo.

É como se “enferrujássemos” com o passar dos anos… Para a nossa sorte, o consumo de produtos antioxidantes (presentes nos vegetais, verduras e frutas) ajuda a prevenir e reverter esses processos.

E não para por aí!

Alguns estudos demonstraram que a ingestão de menos calorias também retarda o envelhecimento cutâneo!

Portanto, pense duas vezes antes de repetir aquele prato! Coma devagar e mastigue bem os alimentos para que você coma somente o que é necessário para nutrir seu organismo!

LEIA MAIS

Uma dúvida muito frequente entre pacientes e estudantes de Medicina diz respeito ao filtro solar.

Muitos não entendem como o filtro funciona e o que é aquele número FPS 15 ou 30.

Para responder a essa e outras dúvidas, gravei um vídeo com o pessoal do VivaBem, do UOL, que está disponível neste link.

Além disso, falamos também sobre a queimadura solar e por que a pele da gente descasca depois que isso acontece!

Não deixem de conferir!

Um abraço e até a próxima!

Tags:
LEIA MAIS

Todos nós sabemos da importância de ingerir água e de nos mantermos hidratados. Porém todos concordamos que é difícil manter uma rotina de hidratação.

O post de hoje contém dicas específicas para nos ajudar nessa tarefa. Vamos conferir?

Dicas para se manter hidratado

Dica 1
Estabeleça ao menos 8 momentos para ingerir água.
Sugestão:
– Ao chegar no trabalho;
– Antes de sair de casa;
– Antes de dormir;
– Assim que chegar em casa;
– Durante as atividades físicas;
– No trânsito;
– Antes do almoço;
– Entre reuniões.

Dica 2
Se em cada uma dessas situações você tomar 1 copo de água de 200ml, já terá garantido uma boa hidratação diária!


Dica 3

Tenha sempre uma garrafinha de água por perto.


Dica 4

Esteja quente ou frio, o seu corpo precisa de água. Lembre-se dos chás e infusões!!!


Dica 5

Não espere sentir sede! A sede só acontece quando você já começou a se desidratar.


Dica 6

Sinais como boca seca, sonolência, sede e fraqueza muscular podem ser sinais de uma desidratação importante!


Dica 7

Apesar de “apenas” 64% da pele ser composta por água, a desidratação produz sinais cutâneos visíveis!
Isso acontece porque a maior parte do nosso organismo é composto de água e todas as reações químicas fundamentais para a vida ocorrem no meio aquoso. Para se ter uma ideia, o cérebro é composto de 73% de água, e os pulmões são ainda mais hidratados: 83% é água!
Portanto, beber água é fundamental para a boa saúde!

Dica 8
Aproveite que estamos no início do ano e adote esse hábito saudável o quanto antes!

LEIA MAIS

No sábado dia 22/12/18, eu concedi uma entrevista para o Fernando Andrade da rádio CBN acerca do tema Dezembro Laranja da SBD.

Pelo quinto ano consecutivo, a Sociedade Brasileira de Dermatologia, apoiada pela Associação Médica Brasileira e pelo Conselho Federal de Medicina, conduz a campanha do Dezembro Laranja, que alerta para os riscos do câncer de pele. O slogan da campanha esse ano “se exponha mas não se queime”, faz uma analogia com as redes sociais. A ideia é mostrar que é possível aproveitar o que o sol tem de bom e, ao mesmo tempo, evitar os seus efeitos nocivos.

A campanha

A ação teve início já no primeiro dia do mês quando 4 mil médicos dermatologistas e voluntários foram mobilizados para atender gratuitamente cerca de 30 mil brasileiros que procuraram os 132 postos de atendimento espalhados por vários estados do país. Já é o vigésimo ano que essa campanha preventiva busca sinais de câncer de pele na população e a orienta no sentido de evitar o problema. Já fizemos mais de 500 mil consultas gratuitas e orientações nessas ocasiões.

Câncer de pele

O câncer de pele não melanoma responde por 30% de todos os cânceres e estima-se que teremos 165.580 casos novos no ano de 2018. A mortalidade desse tipo de câncer felizmente é baixa. Em 2015 foram 1958 mortes. Já o melanoma, mais agressivo, é mais raro, respondendo por menos de 3% de todos os cânceres de pele. Para você ter uma ideia isso significa 6260 casos novos por ano e cerca de 1794 mortes no ano de 2015. É importante lembrar mais uma vez que o diagnóstico precoce leva a cura em mais de 90% dos casos.

Dezembro Laranja

Esses números justificam a campanha uma vez que o câncer de pele é prevenível e principalmente, curável, se detectado precocemente. É fundamental saber como e quando se expor ao sol, bem como reconhecer os sinais de que há algo de errado com a sua pele. Esse serão os temas de nossas próximas duas publicações. Fique atento para não perder essas informações super importantes!!!

Seguem fotos e link para o site da SBD onde você encontra mais informações sobre a campanha.

Ouça abaixo ou veja no youtube.

.

 

LEIA MAIS

Participei como coordenadora do curso pré-congresso de Cosmiatria de Cabelos e Unhas e palestrei sobre suplementação oral para unhas.

Dessa vez o congresso aconteceu em Brasília e as aulas foram muito interessantes e proveitosas, com excelente didática dos palestrantes.

No meu tema, falei principalmente da biotina e do silício, mas também abordei o uso dos peptídeos do colágeno e do ômega 3.

Na parte das unhas, discutimos a síndrome das unhas fracas, os esmaltes e os procedimentos de alongamento das unhas e seus efeitos adversos e a possibilidade de melhora estética de doenças ungueais crônicas ou que sofreram traumas.

Já na parte dos cabelos, falou-se sobre o intemperismo capilar e cosméticos capilares, além das próteses capilares e a perda de cabelos por tração.

O intemperismo capilar é um assunto fascinante e será tema do nosso próximo post, mas aqui vai um spoiler: trata-se de tudo que está no ambiente e pode danificar o fio.

Os grandes vilões são: o sol, o ato de pentear e tracionar os fios, a limpeza excessiva, as tintas e descolorações, os alisamentos e o calor.

LEIA MAIS

Além do risquinho escuro, que a gente já explicou em outro post, outros risquinhos podem aparecer nas suas unhas. As estrias, como são chamadas, costumam ser levemente esbranquiçadas ou amareladas, mas também podem ser avermelhadas ou não ter cor alguma. Quanto à forma de aparecimento: pode ser uma só ou várias e isso pode acontecer em várias unhas, em uma única unha ou em todas.

A aparência das estrias, a quantidade delas e a localização ajuda o especialista a fazer o diagnóstico correto do quadro, mas dois problemas se destacam por serem mais comuns!

Um deles é também chamado de onicorrexis e representa a canície ou “cabelo branco” da unha. Pode surgir com o passar dos anos e estar associado a uma atividade inflamatória presente na fábrica das unhas. Essa inflamação acontece por conta da proximidade com as articulações, em alguns casos. Esse problema pode estar associado à fragilidade das unhas e deve ser abordado como a síndrome das unhas fracas. Também temos post sobre isso aqui.

A onicorrexis se apresenta com múltiplas estrias incolores ou esbranquiçadas em múltiplas unhas. É mais comum no sexo feminino e após os 50 anos de idade, sendo extremamente frequente em mulheres acima dos 70 anos. Pode ou não estar associada à quebra das unhas, mas se não cuidarmos direitinho delas, as unhas irão acabar ficando mais fracas. O tratamento é feito com esmaltes medicamentosos e com a ingestão de vitaminas e minerais que fortificam as unhas.

No próximo post vamos explicar sobre o onicopapiloma!

LEIA MAIS