Participei da reportagem da Record que foi ao ar no Domingo Espetacular – assista aqui) sobre a gravidade do melanoma e importância do diagnóstico precoce.

O câncer de pele não pode ser subestimado! Se diagnosticado e tratado precocemente, o melanoma não provoca metástases e tem enormes chances de cura!

O melanoma não é o tipo mais comum câncer da pele mas, sua alta capacidade de se espalhar para outros órgãos, determina casos graves e letais.

Os fatores de risco são pele clara, exposição exagerada ao sol, pintas que mudam de cor, forma e tamanho e outros casos da doença na família.

O mais comum é o aparecimento do melanoma em qualquer lugar da pele humana, incluindo unhas e couro cabeludo; mas esse tumor também pode surgir nas mucosas, olhos e sistema nervoso central.

Previna-se da exposição solar excessiva e procure um dermatologista anualmente, ou sempre que tiver necessidade, para diagnóstico precoce e tratamento.

 

Vc sabe dizer se aquele sinal que vc viu na sua pele pode ser algo mais grave? Como identificar um melanoma? Acompanhe nesse vídeo que explico um pouco mais!

Procure sempre um dermatologista!

LEIA MAIS

Via: R7 | Saúde

O câncer de unha, apesar de raro, manifesta-se de diversas formas e requer atenção para que o tratamento seja feito o mais rápido possível. Em estágio avançado, a doença pode resultar em amputação do dedo.

A médica dermatologista Tatiana Gabbi, assessora do Departamento de Cabelos e Unhas da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia), afirma que pessoas leigas podem confundir o câncer com uma micose, que é uma infecção causada por fungos.

“Tem muita gente que acredita que as únicas coisas que aparecem na unha são micose ou unha encravada. Na verdade, tem um monte de doença diferente. Um médico não vai fazer essa confusão. Às vezes, até faz, se não for uma pessoa especializada.”

A dermatologista explica que são dois os tipos mais comuns de tumores malignos que afetam as unhas: o carcinoma espinocelular e o melanoma.

“O carcinoma é mais frequente que o melanoma. Ele acontece no leito da unha, aparece como uma ferida e não cicatriza. É comum ter descolamento da unha e por isso ser confundido com uma micose. Mas na micose, a unha fica mais grossa, no carcinoma, não.”

Os melanomas se dividem em dois tipos, podem aparecer no leito da unha, ou seja, embaixo dela, ou na matriz, que é atrás da cutícula, onde ela cresce.

“O melanoma do leito é muito parecido com um carcinoma. Pode aparecer em qualquer faixa etária, mas é mais comum em adultos, principalmente depois dos 50 anos. O descolamento da unha também ocorre, mas existe sangramento”, acrescenta a dermatologista.

O tipo que afeta diretamente a unha é o melanoma da matriz, onde ela nasce.

“Como a matriz tem células que produzem pigmentos, melanócitos, ele se prolifera, escurece a matriz e ela começa a produzir uma unha que é escura também. Então, você vê uma faixa escura na unha que vai se alargando com o passar do tempo”, observa Tatiana.

“O melanoma tem vários tons, como marrom e castanho, e fica na unha mesmo. Se cortar, você vê que a unha é escura. Nem tudo que mancha a unha é melanoma, porque pode ter manchas, acrescenta.

A médica destaca que pode haver outras causas de pigmentação, como pintas, manchas raciais ou por trauma. A principal recomendação é que se procure um dermatologista após identificar alguma alteração na unha.

Será feita uma biópsia, que em nada afeta a estrutura da unha, e, em caso de tumor maligno, o médico vai decidir qual é a melhor forma de remover o câncer.

“Quando o câncer de unha é uma faixa escura na unha, é um tumor inicial. O mais avançado já destruiu toda a unha. Quando está discreto, é inicial, se consegue fazer um procedimento simples de remoção da unha. Ela não volta a nascer, mas tem mais de 90% de chance de cura.”

Em casos mais extremos, pode ser necessário amputar o dedo. “É um tumor maligno que pode espalhar pelo corpo, ressalta a médica.”

Tatiana Gabbi ressalta que o câncer de unha prevalece na população adulta, tendo maior incidência a partir dos 50 anos.

Outra recomendação da médica é que ao detectar uma anormalidade na unha não se faça qualquer tipo de intervenção como tentar arrancar ou procurar profissionais que não sejam médicos.

Ao contrário do que chegou a ser difundido na imprensa, a luz utilizada na aplicação de esmalte de gel não provoca câncer, segundo a dermatologista.

“A luz dessas câmaras é menos importante do que a luz do sol, por exemplo. A própria unha protege contra a radiação, que é baixa.”

 

Tumor benigno, mas dolorido

Mais comum dos que os tipos malignos, tumor glômico é benigno, mas provoca dor intensa em quem tem.

“Nós temos uma estrutura na ponta dos dedos que contrai os vasos no frio para que a circulação seja priorizada na parte central do corpo. O tumor glômico é uma proliferação dessas estruturas, dói muito com frio, quando bate, quando mexe”, afirma a médica.

Esse tipo de tumor, semelhante a um sagu, pode apresentar uma lesão azulada na unha ou uma faixa vermelha e requer remoção cirúrgica.

Fonte: R7 | noticias.r7.com/saude

LEIA MAIS

Sobre hematomas e melanomas. Nem tudo que é escuro e mancha as unhas é uma doença grave! As duas primeiras fotos são hematomas agudos e as três fotos seguintes são melanomas. Observe que são muito parecidos.

Mas como podemos saber a diferença?

1) O hematoma desaparece com o tempo. A unha nova cresce e não está mais manchada, o melanoma não. Continua sempre manchando a unha.

2) Geralmente, o hematoma aparece após um trauma agudo: caiu algo no dedo, você bateu o dedo em algum lugar, usou um sapato apertado, levou uma pisada no dedo etc. No melanoma também pode ter acontecido um trauma prévio, mas em geral a lesão muda e vai alargando com o passar do tempo.

3) Se você machucou o dedo, surgiu uma mancha escura e isso permanece inalterado após mais de 6 meses: procure o médico dermatologista. É necessário avaliar o seu caso e acompanhar de perto. Talvez seja indicado fazer a biopsia.

Espero ter ajudado!

Se você quer saber mais sobre esse assunto, aperte o play e confira o vídeo que eu fiz sobre esse tema 😉

LEIA MAIS

“Tenho uma unha com uma listra preta igual às unhas com melanoma e já fazem +- 3 anos, quando eu descobri que poderia ser algo sério procurei um dermatologista. Fui em 3 dermatologistas diferentes e os 3 não pediram nenhum exame e disseram que não era nada. Então fiquei despreocupada. Mas há pouco tempo fui em uma manicure que estudou unhas e ela me falou que, sim, indicava uma doença. Então resolvi ir atrás novamente e procurar mais sobre e achei seu contato. Você poderia me informar o que eu poderia fazer? Obrigada.”

Recebo e-mails como esse diariamente. Infelizmente, o Conselho Federal de Medicina proíbe e considera antiético responder esse tipo de mensagem, por meio das redes sociais, pois entende que configura uma consulta à distância, algo ainda não permitido no nosso país. Por esse motivo, tomo essa mensagem como exemplo para orientar todas as mensagens recebidas anteriormente e aquelas mensagens que serão enviadas futuramente.

Como já disse em outros artigos e vídeos, essa mancha representa que há pigmento na fábrica da unha. Um médico familiarizado com o problema poderá indicar retirar um pedacinho para exame no microscópio (uma biopsia) ou não.

São sinais de preocupação:

  • Unha única acometida;
  • Pele clara;
  • Banda que se alarga com o passar do tempo;
  • Unha quebrada;
  • Pele ao redor manchada;
  • Idade acima dos 50 anos.

Quanto mais dessas características uma pessoa tiver, mais importante procurar o especialista!

Não precisa ter todos os sinais de preocupação presentes! Já vi melanoma em mulheres com idade abaixo dos 30 anos, por exemplo!!!! Então, se você está preocupada, faça uma consulta.

Se o médico ficar em dúvida, pode optar pelo seguimento com fotos ou pela biopsia. A biopsia consiste em tirar um pedacinho da matriz e analisar se aquela mancha é apenas uma cicatriz de um trauma ou se é uma pinta.

Caso seja uma pinta, o exame permite verificar se ela é benigna ou maligna. Se for uma pinta benigna ou uma mancha: não é necessário fazer mais nada!

Em muitos casos, as manchas podem até voltar depois de um tempo! E isso não deve ser considerado preocupante, desde que se guarde o resultado do exame para lembramos o que havia sido visto na biopsia!

Quando o exame revela algo maligno, em geral, é muito inicial e teremos que realizar uma nova cirurgia! A boa notícia é que, na maioria das vezes, conseguimos curar o paciente sem necessidade de tratamentos com quimioterapia ou radioterapia.

Por isso, se você tem uma mancha na unha, procure um especialista e fique de olho se ela muda com o passar do tempo!!

Em geral, não há remédios que possam clarear esse tipo de mancha, a não ser quando é causado por uma micose, mas isso é bem raro!!

Tem outra dúvida? Deixe nos comentários 😉

Fiz diversos posts sobre esse assunto. Veja todos eles aqui:

Até a próxima!

LEIA MAIS