No artigo de hoje vou contar um pouco a vocês sobre como a alimentação influencia nossa pele.

Quando definiram o genoma humano, acharam que tinham descoberto tudo e que isso ia ser a chave para a gente entender tudo o que acontece com o nosso corpo, saúde e doença.

Mas logo depois, viram que não era só isso! E que elementos do ambiente são peça fundamental no ligamento e desligamento dos genes (epigenética). Então, em 2005, definiram o termo expossoma, que significa tudo o que a gente entra em contato ao longo da nossa vida e que pode ter impacto na nossa saúde.

Em 2017, dois autores definiram o expossoma do envelhecimento cutâneo e a nutrição, ou seja, a alimentação é um desses fatores muito importantes.

E quando a gente pensa em alimentação, a gente pensa nos carboidratos, nas proteínas, nas calorias, nos minerais, nas vitaminas, mas a gente tem que lembrar da água também, que é muito importante.  Quando estamos hidratados, tudo funciona melhor, inclusive a nossa pele.

1 – Carboidratos

Tem gente, por exemplo, que gosta de consumir grandes quantidades de açúcar ou de carboidratos que vão acabar virando glicose no sangue.
A glicose tem uma propriedade diferente: quando está presente em grandes quantidades, pode reagir com as proteínas que formam os tecidos do nosso organismo, modificando essas proteínas, ela caramelizar essas proteínas.

Por exemplo: a nossa pele tem colágeno e elastina, que vão conferir a textura que a gente conhece normalmente. Quando a glicose carameliza o colágeno e a elastina, temos a flacidez, rugas, perda do contorno facial etc. Então, pense nisso da próxima vez que estiver com vontade de comer muito açúcar.

 

2 – Acne

Uma coisa que sempre me perguntam sobre o tema “alimentação influencia nossa pele” é acerca da acne. Já se sabe, por meio de estudos, que a acne pode ser modificada por conta da nossa alimentação.

Não podemos falar em alimentos que, de forma absoluta, irão causar ou melhorar a acne, para todos, porque cada indivíduo é único; então, para alguns isso vai acontecer de uma forma e para outros, de outra completamente diferente.

No entanto, o que sabemos é: toda vez que aumentamos o fator de crescimento relacionado à insulina, podemos ter sim uma maior chance de desenvolver a acne.

E quando aumentamos esse fator? Quando comemos uma dieta muito rica em calorias. Então, ao comer doces, gorduras saturadas ou tudo que tiver muitas calorias, devemos lembrar que isso pode levar a essa via metabólica, e, assim, aumentar a inflamação na nossa pele.

 

3 – Unhas e cabelos

Em relação a unhas e cabelos, o que sabemos? Que o nosso organismo prioriza tudo o que é mais importante – e unhas e cabelos são acessórios.

Chamamos isso de anexos cutâneos, então eles não são fundamentais para o funcionamento pleno do nosso organismo. Para termos unhas e cabelos saudáveis e bonitos, todo o nosso organismo precisa estar alinhado com a nossa alimentação.

Portanto, quando fazemos dieta e comemos uma quantidade reduzida de proteínas ou calorias, o cabelo e as unhas sofrem bastante esse impacto. Mas existem algumas proteínas, alguns aminoácidos, que ajudam na constituição de unhas e cabelos.

A cisteína é o principal aminoácido que forma a queratina, proteína mais abundante na nossa pele, cabelo e unhas. Alimentos ricos em cisteína, para uma pessoa que já está se alimentando da forma correta, com a quantidade suficiente de proteínas e calorias, poderia sim ter um impacto nas unhas e cabelos.

Quais são esses alimentos? Cebola, alho, couve de Bruxelas, nozes, amêndoas e alimentos de origem láctea. Todo eles têm uma grande quantidade de cisteína que vai ajudar a formar a queratina da nossa pele, cabelo e unha.

 

4 – Vitamina C

Uma coisa que precisamos entender é: temos processos oxidativos no nosso organismo. Respiramos e produzimos radicais livres e eles serão combatidos por um sistema que existe no nosso organismo: produção de substâncias antioxidantes.

Uma das coisas que funcionam nesse sentido é a Vitamina C. Então, quando ingerimos produtos ricos em Vitamina C, como frutas e verduras, temos o favorecimento desse mecanismo limpador no nosso organismo.

Porém, quando comparamos a Vitamina C que usamos de forma tópica na nossa pele e a Vitamina C que ingerimos, vemos que os resultados da aplicada na pele são superiores aos resultados que temos quando consumimos.

Isso porque, quando usamos na pele, isso vai contribuir para melhorar a oxidação que está acontecendo na pele. E, quando ingerimos, teremos um sistema mais amplo desse mecanismo, então não teremos tanto impacto na somente na pele.

Acompanhe esse vídeo e tire suas dúvidas!

https://youtu.be/tahT7zTy7Jc

 

Lembre-se sempre

Não podemos nos esquecer que a pele é o maior órgão do nosso organismo e é o nosso cartão de visitas. Para termos uma pele saudável, precisamos de um organismo saudável.
Precisamos lembrar que uma forma de conseguir isso é por meio da alimentação; então se não estamos bem alimentados, não estamos bem nutridos, e isso vai aparecer primeiro na nossa pele.
Se você gostou desse conteúdo, procure o seu dermatologista e discuta esses assuntos com ele.

Ainda tem dúvidas sobre como a alimentação influencia nossa pele? Fale comigo na rede social ou pelo whatsapp e mande a sua pergunta! Me siga também no Instagram.

LEIA MAIS

No dia 14 de fevereiro, tive a oportunidade de participar na Pós graduação de Nutrologia do Hospital Albert Einstein, com a aula de Evidências da Nutroterapia nas doenças de pele! É um prazer e uma honra contribuir com a formação dos futuros nutrólogos!

 

Sobre o Curso
O programa do Curso de Pós-Graduação em Nutrologia tem metodologia ativa, baseada em teoria e prática com estudo de casos clínicos, estágio observacional e simulação realística. Concebido com o objetivo de capacitar o médico para aprimorar seu atendimento, senso crítico e atuação na resolução de patologias Nutrológicas.

A proposta é ampliar o conhecimento sob o ponto de vista da assistência à saúde e da qualidade de vida do paciente considerando a integralidade do ser humano. Assim, o aluno terá subsídios para indicar a melhor terapia nutrológica para cada situação, bem como monitorizar e manejar as possíveis complicações de maneira correta afim de colaborar com um resultado clínico favorável.

LEIA MAIS

A Medicina do Esporte e a Nutrologia são duas especialidades que se complementam. A arte de orientar um exercício para um atleta amador ou profissional, ou simplesmente criar uma oportunidade para quem quer iniciar suas atividades físicas, ou melhorar seu corpo, passa por um profundo conhecimento de informações técnicas e científicas nos segmentos de atividade física, composição corporal, alimentação e suplementação, que a maior parte dos profissionais não tem.

Diante dessa demanda, dois professores da área médica, referência dentro das suas especialidades, Daniel Kopiler – Medicina do Esporte, e Guilherme Giorelli – Nutrologia, resolveram reunir seus conhecimentos, e criar o “Simpósio Brasileiro de Nutrologia no Exercício e no Esporte – NUEEX” em 2018. O Simpósio foi um enorme sucesso que resolveram fazer a segunda edição.

O II Simpósio Brasileiro de Nutrologia no Exercício e no Esporte – NUEEX 2019 reuniu personalidades de todo o Brasil, com vasta experiência na área, que apresentarão o que há de mais moderno dentro da sua especialidade.

O NUEEX 2019 foi realizado no período de 8 a 9 de novembro de 2019, no JW Marriott Hotel, Rio de Janeiro, RJ.

Coordenei essa mesa de Nutrologia e Dermatologia, foi muito interessante e elogiadíssimo esse painel!

Espero que mais e mais médicos dermatologistas se conscientizem da importância dos aspectos nutrológicos da pele! Para os que já sabem e querem aprender mais, nos vemos no Nutronaderma!

 

LEIA MAIS

O XXIII Congresso Brasileiro de Nutrologia, promovido pela Associação Brasileira de Nutrologia (Abran), aconteceu nos dias 26, 27 e 28 de setembro, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo.

Considerado o maior evento da América Latina na especialidade, a edição deste ano reuniu mais de 4 mil profissionais de saúde para debates intensos que serão realizados durante 70 simpósios com as mais recentes atualizações científicas de assuntos como obesidade e síndrome metabólica, nutrologia esportiva, nutrologia pediátrica e estética, nutrologia enteral e parenteral, sarcopenia e fragilidade, nutrologia da doença de Alzheimer, nutrologia e câncer, transtornos alimentares etc.

O cientista e presidente do Departamento de Ciências Nutricionais da Texas Tech University, Nikhil Dhurandhar, esteve entre os grandes nomes confirmados, como palestrante. Dhurandhar publicou detalhes sobre a associação do chamado “vírus da obesidade”, AD-36, com a doença. Apesar dessa teoria não ser nova, o estudo de Dhurandhar publicado na revista científica Obesity avança na perspectiva de compreender se o vírus causa a multiplicação das células de gordura do corpo.

Existem mais de 50 tipos de adenovírus que infectam humanos, incluindo os responsáveis por doenças respiratórios, diarreias e conjuntivite, mas o pesquisador ressalta que a obesidade é uma doença multifatorial.

“Temos o compromisso e a missão de trazer a cada ano um Congresso ainda mais rico e com as mais recentes atualizações científicas na área da Nutrologia para que o médico possa usar os conhecimentos adquiridos nos Simpósios tanto na anamnese quanto nos tratamentos e gerar benefícios para os seus pacientes”, afirma o médico nutrólogo e presidente da Associação Brasileira de Nutrologia, Durval Ribas Filho.

LEIA MAIS

Hoje, 28 de agosto, em Foz do Iguaçu falei sobre a Suplementação com Colágeno na mulher atleta para os participantes do curso Pré Congresso em Nutrologia do esporte no 31o Congresso Brasileiro de Medicina do Exercício e Esporte.

Com uma programação científica e elaborada cuidadosamente para que os principais temas relacionados às ciências do exercício e do esporte sejam abordadas.

Dra. Tatiana Gabbi, médica dermatologista e assistente do departamento de dermatologia da FMUSP, abordou a nutrologia feminina, tema Colágeno na mulher Atleta: Pepdtídeos ou Hidrolisados – evidências e prática clinica , que tem gerado uma grande evolução nas pesquisas científicas, dando enfoque sobre como o uso de colágeno hidrolisado e como ele atua na fisiologia da celulite e flacidez.

Vários estudos em mulheres que foram suplementadas com colágeno, mostraram ao final do estudo, uma melhora da hidratação da pele, aumento da quantidade de ácido hialurônico, aumento da densidade da pele, redução da fragmentação do colágeno e aumento da elasticidade da pele.

 

LEIA MAIS