Cabelos quebrados atormentam muitas mulheres e é comum ficar sem saber o que fazer para evitar essa situação. Por isso, listamos as principais dúvidas sobre o tema. Confira!

Às vezes, os cabelos caem e às vezes eles quebram. É aí que surge a primeira das nossas perguntas sobre quebra de cabelo. Confira!

1 – Como sabemos se o nosso problema é de queda capilar ou de cabelos quebrados?

É fácil saber a diferença entre cabelos quebrados e quando estão caindo. Quando o cabelo cai, por algum motivo específico, o fio sai com uma pontinha, que você percebe e reconhece como bulbo capilar.

Mas quando estamos diante de cabelos quebrados, notamos que os fios ficam em tamanhos diferentes e observamos uma ponta que parece cortada. Pode ser que ela esteja mais afinada, por exemplo, ela fica com um aspecto diferente.

Então,em resumo, a ponta quebrada não tem o bulbo capilar, que é a raiz do cabelo.Isso só acontece quando o cabelo cai naturalmente.

 

2 – Precisa usar sabão ou podemos usar xampu para lavar os cabelos por conta do surto de COVID-19?

O correto é continuar usando o xampu, uma vez que ele já tem um pH eficiente para limpar os nossos cabelos. Então, não há necessidade de usar sabão (e nem devemos, pelo enorme risco de dano à haste e couro cabeludo, devido ao pH elevado dos sabões).

Uma dica muito importante nessa época é: prenda os cabelos. É melhor, porque diminui as chances do seu cabelo encostar em objetos e evita que você passe a mão no cabelo o tempo inteiro.

Outra dica bacana, principalmente para quem trabalha na área da saúde, é: não fique usando gel, pomada ou outras coisas que permitam com que partículas se grudem aos seus cabelos, porque essa maior capacidade de aderência, pode aumentar as suas chances de carregar o vírus para a sua casa.

Além disso, tome outras providências necessárias para evitar que os seus fios fiquem soltos; use touca e prenda o cabelo (não só com rabo de cavalo, mas também com coque) para diminuir a superfície de contato do seu cabelo com o ar, que já que ele pode estar contaminado com o vírus no ambiente de saúde, como UTIs, por exemplo.

Importante: Lembre-se de que a lavagem com sabão aumenta muito as chances de cabelos quebrados, pela diferença de pH entre os cabelos e este produto

 

3 – Qual a diferença entre reconstrução, nutrição e hidratação?

As influencers geralmente tratam bastante o assunto dos cabelos quebrados e falam sobre esses termos; por isso, muitos pacientes chegam aos consultórios querendo entender sobre eles. Então, qual é a diferença?

O cronograma capilar é um sistema de revezamento de entrega de nutrientes para os fios. Então, esses três procedimentos foram criados, de forma a serem utilizados de forma alternada, em um sistema de revezamento, para fornecer diferentes nutrientes e produtos para os fios.

Por exemplo: quando temos a necessidade de uma hidratação mais intensa, ou de reconstrução, o cronograma oferece coisas diferentes.

Quando falamos de reconstrução, temos que pensar no seguinte: o que precisa entrar para reconstruir é uma carga proteica maior.

Quando falamos de hidratação, pensamos na cutícula, na estrutura externa do fio. Isso tudo com o objetivo de melhorar a qualidade do brilho e toda a parte estrutural da cutícula.

Essas são as diferenças básicas entre todos esses processos e o cronograma pode ser uma excelente opção e funcionar muito bem quando nos submetemos às químicas capilares: alisamentos, descolorações e tinturas, por exemplo.

 

Mesmo quem não tem química, pode se beneficiar de um cronograma capilar…

Isso porque o próprio xampu faz com que a gente perca proteína capilar, por conta das alterações do PH no momento da lavagem. Isso sem mencionar o uso de fontes de calor, como secadores e chapinhas, que fazem com que os nossos cabelos percam água e fiquem desidratados e, portanto, sujeitos à quebra.

Gostou desse conteúdo? Então quero te convidar para assistir a live que fiz com a Dra Aline Blanco, dermatologista de Campo Grande, especializada em Tricologia, sobre cabelos quebrados! Só clicar aqui para ver o vídeo da live e conferir TUDO sobre esse assunto!

 

Cabelos quebrados: índice com essas e outras perguntas respondidas na Live

01:25 – Por que, às vezes, o cabelo cai e às vezes eles quebram?

02:34 – Com o COVID-19, o certo é lavar os fios com sabão?

05:18 – O jeito correto de lavar os fios para evitar a quebra de cabelo

10:33 – É certo diluir o shampoo com um pouquinho de água?

11:36 – Usar shampoo 2 em 1 atrapalha (considerando que cada um tem uma função)?

12:10 – Qual é a hora certa de passar a máscara? É depois do condicionador?

14:06 – E quando o cabelo quebra por causa do calor? O que fazer?

16:00 – Produtos de alisamento e os efeitos no cabelo

18:08 – Qual a diferença entre reconstrução, nutrição e hidratação?

20:25 – Qual é a frequência ideal para lavar os cabelos?

21:44 – E sobre os produtos veganos: eles têm um efeito melhor nos cabelos?

23:39 – Hidratar os cabelos quebrados é suficiente ou o medicamento também ajuda?

25:16 – O excesso de produtos de hidratação faz mal aos fios?

26:31 – O sulfato danifica mais o cabelo já danificado?

28:19 – Mas e os cabelos quebrados?

28:38 – Faz ou não suplemento para quem fez gastroplastia?

29:56 – E para quem está na linha de frente e precisa lavar os cabelos todos os dias. Qual o melhor shampoo?

32:21 – O shampoo anti resíduo retira as queratinizações?

34:36 – E a queda ou quebra de cabelo depois da dengue: como voltar ao normal?

36:53 – E quando os cabelos quebrados acontecem por corte químico? O que fazer?

40:13 – Por que o cabelo branco é duro e poroso?

43:44 – O que mais é necessário saber sobre cabelos quebrados e crescimento dos fios?

 

 

E então, gostou das informações sobre quebra de cabelo?

Não se esqueça de clicar aqui para assistir a live e ver o papo maravilhoso que tivemos, para te ajudar ao máximo com o seu problema de cabelos quebrados!!

É isso, gente! Hoje, ficamos por aqui. Se tiver alguma dúvida ou sugestão, não se esqueça: entre em contato comigo e eu te ajudo.

LEIA MAIS

Se os seus cabelos estão cada vez mais ralos, provavelmente você está se perguntando se calvície tem tratamento. A resposta é: sim. Continue lendo que eu vou te ajudar com informações importantes sobre o assunto! 

A perda de cabelos tem impacto significativo na aparência, e pode ser fonte de preocupação para homens e mulheres. A alopecia androgenética, também conhecida como calvície, é um problema que pode levar à perda total ou parcial dos cabelos.

Embora seja mais comum no sexo masculino – estima-se que 80% dos homens com mais de 80 anos sofram do problema, de acordo com a SBD – ela também pode afetar as mulheres. Nos homens, a perda de cabelo tende a se concentrar no topo do couro cabeludo.

Nas mulheres, é mais difusa, com preservação da área de implantação dos fios. Isso quer dizer que, em geral, não vemos entradas nas mulheres, mas os fios ficam mais finos e espaçados e podemos até enxergar o couro cabeludo através deles.

A boa notícia é que, hoje em dia, há inúmeras opções de tratamento. Quer conhecer as alternativas? Continue comigo até o final!

 

Calvície tem tratamento, mas sempre consulte um dermatologista!

A proteção natural da nossa cabeça é o cabelo, que age como filtro solar e nos protege de problemas como frio e traumas. Uma curiosidade é que, geralmente, temos aproximadamente 150 mil fios de cabelo.
O cabelo cresce 0,35mm todos os dias (a cada 24 horas, mais especificamente) e ele é programado para trocar os fios no período de 3 – 5 anos, mas isso depende da pessoa também.

Para algumas pessoas, esse quadro não acontece da forma esperada e isso acaba sendo frustrante e afetando a autoestima. Vários fatores podem ser responsáveis por isso e nem toda perda de cabelos é igual! A alopecia androgenética é uma das doenças que leva a perda de cabelos e é por esse motivo que eu recomendo consultar um dermatologista! Ele fará uma investigação das características e das prováveis causas do problema.

 

Algumas opções de tratamento para calvície

1 – Medicamentos
Dentre as opções terapêuticas estão os medicamentos de uso local (como soluções de minoxidil e 17 alfa estradiol), orais (como a finasterida) e antiandrógenos sistêmicos (como a ciproterona e espironolactona e, mais recentemente, o minoxidil oral).

 

2 – Laser e microagulhamento
Existem também técnicas com aplicação de lasers e microagulhamento com e sem uso de medicamentos. Todas essas técnicas podem ser utilizadas para estimular o crescimento dos fios. Nos casos mais acentuados, o transplante capilar pode ser indicado com resultados cada vez mais naturais!

 

3 – Transplante capilar
O transplante capilar retira folículos capilares dos locais com maior quantidade de fios (que esteja saudável e sem indício de problema genético) e os realoca para a parte cabeça que sofreu com a queda capilar. Isso funciona bem no sexo masculino porque nos homens há uma diferença entre o tipo de cabelo que fica no topo da cabeça e na região próxima a nuca (área doadora).

Como saber se você tem calvície mesmo?
Geralmente, os sinais de calvície podem aparecer nas pessoas de 20 até 30 anos, mas também podem começar a se manifestar a partir dos 15 anos (já que a puberdade aumenta a quantidade de hormônios).

 

Listei 8 sinais da calvície para observar em casa (mas existem outros, por isso procure um especialista se observar algo de anormal na sua rotina capilar):

01. Os cabelos demoram mais a crescer e ficam mais finos.
02. A raiz do cabelo fica mais fraca e cai, não crescendo novos fios no lugar.
03. Para os homens, a queda do cabelo começa com aumento das “entradas” e logo depois vai para as partes central e superior.
04. Para as mulheres, a queda dos fios começa na parte central e segue para as laterais superiores.
05. Menor volume de fios. Para as mulheres com cabelos mais compridos, principalmente, caso haja uma diminuição no volume, é importante consultar um dermatologista.
06. Toda pessoa tem um limite comum de fios para perder, que varia entre 100 a 120 fios por dia. Caso você esteja perdendo um volume maior do que esse e sem reposição, procure ajuda de um especialista.
07. Verifique se na sua família existe o histórico de perda de cabelo, já que a calvície também pode ser hereditária.
08. O couro cabeludo aparente também pode ser uma forma de descobrir a calvície; então, se o seu cabelo estiver molhado e você perceber que algumas regiões do couro cabeludo aparecem, provavelmente está ficando calvo.

 

Causas da calvície

Você já sabe que calvície tem tratamento, mas mesmo assim é possível que esteja se perguntando qual o motivo da queda dos fios. E eu vou te mostrar agora algumas possibilidades.
1 – Hereditariedade
Uma das razões para a perda de cabelo, como já falei aqui, é a genética. Esse é um dos motivos mais comuns para a queda dos fios e, geralmente, é o tipo mais difícil de evitar.
Caso alguém da sua família tenha ficado calvo, é bem provável que você desenvolva a calvície também. Por ser mais complexo, é importante ficar de olho e procurar um especialista assim que começar os sintomas.

 

2 – Alimentação
Já falei várias vezes nos meus vídeos do Facebook que a alimentação influencia diretamente na pele e cabelo.
O pior é que, hoje em dia, muitas pessoas não cuidam da alimentação por não ter tempo; a maioria come produtos industrializados, que faltam nutrientes e proteínas, interferindo diretamente nos fios.
A alimentação não leva a alopecia androgenética ou a calvície, mas pode colaborar com a piora da doença, uma vez que gera queda de cabelos (eflúvio). A presença de eflúvio descontrolado em alguém com calvície pode piorar bastante o aspecto geral dos cabelos, fazendo a doença parecer pior.

 

3 – Inflamação crônica associada a caspa
Você pode estar pensando agora: “Mas eu sempre lavo os meus cabelos, me alimento bem e não tenho histórico familiar de calvície. Como estou perdendo os fios?”
Nem sempre a higiene incorreta é feita por causa de desleixo, mas pode ser por um enxágue superficial, acúmulo de restos de produtos, oleosidade etc.
Então, procure verificar se você tem oleosidade excessiva do couro cabeludo ou presença de caspa. Caso você tenha esse problema, é mais um dado que o dermatologista irá levar em conta na hora de começar um tratamento para você!

 

4 – Estresse
Ao descobrir uma doença, traição, acidente ou alguma outra situação que gere uma carga emocional muito alta, isso pode levar a aumento de hormônios do estresse e influenciar no ciclo capilar!
É claro que o estresse isolado não pode ser o único responsável pela queda dos fios, mas ele pode ser um deflagrante e, assim como a má alimentação, sob o efeito do estresse, é possível que o seu cabelo comece a cair.

 

5 – Hormônios
Alterações hormonais também causam queda de cabelo e isso acontece em várias fases da vida (principalmente na adolescência, como já falei aqui) e esse pode ser um fator para a perda dos fios. Muitas vezes, podemos até descobrir problemas mais sérios através dos cabelos!

 

6 – Uso demasiado de remédios
Alguns tipos de medicamentos têm efeitos colaterais e um deles pode ser queda de cabelos – como os anticoagulantes, antidepressivos ou remédios para pressão, por exemplo.
A calvície pode piorar os sintomas com o uso de algumas medicações. Nunca se esqueça de contar para o seu dermatologista todos os medicamentos em uso!

 

7 – Hipotireoidismo
Ao não ter um funcionamento correto da tireóide, é comum que alguns hormônios não sejam produzidos na quantidade ou na forma correta. Alguns deles são essenciais para o seu metabolismo e podem interferir no crescimento dos seus fios.

Então, se você suspeita que tem hipotireoidismo, procure um endocrinologista para confirmar esse diagnóstico e começar um tratamento correto, fazendo a suplementação com iodo.

 

Calvície tem tratamento, mas é importante se cuidar!

Tome as atitudes necessárias para evitar a queda dos fios, mas caso isso não seja possível e você esteja sofrendo com a perda de cabelo, tome uma atitude primordial:

Converse com um especialista em cabelos, confira o melhor tratamento para o seu caso e recupere sua autoestima e confiança.

Nesse vídeo eu explico um pouco melhor sobre a queda de cabelos ou eflúvio que, como dito no texto, pode piorar o aspecto da calvície! Assista e entenda melhor sobre os vários problemas diferentes que podem surgir nos cabelos!

 

LEIA MAIS

Esse é um assunto que venho estudando há alguns anos e me levou a fazer uma pós-graduação em nutrologia pela Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN) no ano de 2017.

Também foi tema de duas das minhas palestras mais recentes.

Uma no fim de março, no Rio de Janeiro, durante o 2º Simpósio de Envelhecimento da SBD, e outra, no início de abril, em São Paulo, durante o III Simpósio de Cabelos e Unhas da SBD- Regional São Paulo.

Vários suplementos podem nos ajudar, seja no envelhecimento da pele, seja no tratamento de alterações de cabelos e unhas.

No entanto, nenhum desses compostos tem a capacidade de resolver milagrosamente todos os problemas de forma definitiva e, na realidade, faz parte de uma estratégia de tratamento.

Essa estratégia precisa (entenda isso) ser individualizada porque ninguém é igual ao outro, nem geneticamente, nem em termos de exposição ambiental.

Cabe ao médico, juntamente com o paciente, estabelecer quais suplementos farão parte dessa estratégia (e, talvez, para que ela seja bem-sucedida, o paciente deva incluir algumas mudanças de estilo de vida, como incorporação de hábitos e abandono de alguns vícios).

E é por isso que não tenho como responder às perguntas: “Que creme é bom para não envelhecer?” ou “O que preciso tomar para o meu cabelo parar de cair?”.

Tudo isso depende de quem pergunta e de uma conduta que será elaborada a partir de uma avaliação ou consulta médica, feita no lugar apropriado para isso, que é o consultório.

Seguem fotos dos eventos que participei e espero que eu tenha esclarecido algumas das dúvidas de vocês sobre esse tema.

No meu Instagram @dratatianagabbi eu falo bastante sobre esse assunto e tenho alguns vídeos esclarecedores sobre o assunto. Me segue lá!

LEIA MAIS

A caspa é o nome popular de uma doença conhecida como dermatite seborreica.

Esse problema que, em geral, atinge o couro cabeludo, pode ficar mais extenso e aparecer também atrás das orelhas, nas sobrancelhas, na região da barba, ao redor do nariz e na região do peito.

Em algumas pessoas, fica vermelho e descasca, em outras fica apenas descamativo. Pode ou não coçar.

Em pessoas bem morenas, a caspa pode deixar a área afetada mais clara que o restante da pele.

É crônica e tem períodos de melhora e piora, podendo ficar muito tempo sem aparecer.

No entanto, quando alguém diz que tem caspa, está se referindo à descamação do couro cabeludo.


E isso pode ter várias causas, inclusive a dermatite seborreica!

Se esse for o seu caso, você precisa usar um shampoo adequado todos os dias para fazer a limpeza do couro cabeludo.

O shampoo anticaspa possui ativos que controlam a descamação e a proliferação de um fungo que vive normalmente na nossa cabeça, mas que pode causar esse problema quando está presente em maior quantidade!!!

Como o problema é crônico, ele tende a voltar após um tempo que a pessoa abandona o uso do shampoo correto, mas pode ficar excelente durante o uso.

Outro problema que pode ser confundido com a caspa verdadeira é quando alguém com poucos cabelos, cabelos ralos ou muito claros se expõe ao sol sem usar chapéus ou bonés.

Nesse caso, ocorre uma queimadura do couro cabeludo que pode descascar com o passar dos dias.

A orientação aqui é de usar shampoos suaves para não agredir a pele em recuperação e até mesmo alguns condicionadores especiais que podem ser usados no couro cabeludo.

E, obviamente, se isso aconteceu com você: na próxima vez que se expuser ao sol, usar a proteção adequada para que isso não ocorra novamente!

A dermatite de contato é uma lesão que aparece quando alguma substância irritante ou que nos cause alergia entra em contato com a nossa pele.

Em geral, coça bastante e aparece logo depois de uma tintura ou procedimento de alisamento ou permanente.

O indicado é evitar novo contato com a substância que causou o quadro e usar shampoos suaves que respeitem a pele irritada do couro cabeludo.

Caso a coceira seja intensa, poderá ser necessário consultar um dermatologista que irá receitar medicamentos locais e orais para controle do quadro.

Finalmente, quadros de caspa extensas, que não cedem com o uso diário de um shampoo adequado, merecem a visita de um médico dermatologista porque existe um monte de outras doenças que podem aparecer no couro cabeludo!

Quanto antes forem feitos o diagnóstico e o tratamento, melhor! A saúde dos seus cabelos agradece!

LEIA MAIS

A convite do UOL, fui à praia Riviera de São Lourenço, em Bertioga, fazer uma palestra ao vivo no Espaço Viva Bem sobre fotoproteção, na sexta-feira passada.

Você pode conferir o vídeo neste link.

Iniciei a palestra falando sobre as características das lesões malignas e sobre a necessidade de proteger a nossa pele quando nos expomos ao sol.

Afinal, um dos fatores de risco mais importantes para o surgimento do câncer de pele é justamente a radiação ultravioleta!

Na sequência expliquei um pouco sobre o Verão Laranja, campanha da Sociedade Brasileira de Dermatologia que visa esclarecer a população sobre os mitos e verdades da exposição solar, além de orientar e incentivar o diagnóstico precoce do câncer de pele.

Falamos, também, sobre a vitamina D e como fica essa situação quando usamos filtro solar.

Segundo um estudo conduzido pela SBD, os níveis de vitamina D não sofrem com a exposição solar protegida, apenas ficam baixos quando o paciente realmente evita o sol.

Fechei a palestra esclarecendo algumas dúvidas comuns de consultório sobre pele e cabelos.

Falei sobre queimaduras solares e o cabelo verde que pode aparecer após banhos de piscina.

Foi muito legal ter participado e espero que vocês gostem do vídeo. Seguem fotos do evento.

LEIA MAIS

Ontem à noite eu participei ao vivo de uma sessão de perguntas e respostas sobre os problemas dos cabelos, na página do Facebook do Minha Vida.

O Minha Vida é um portal de saúde, e eu tenho uma coluna mensal em que discuto doenças dos cabelos e unhas. Se quiser conhecer é só clicar aqui.

A Live de segunda à noite foi bem dinâmica, durou cerca de 30 minutos e abordou uma série de dúvidas elaboradas pelos jornalistas que integram a equipe do site e também do público que prestigiou o evento.

Falamos sobre calvície, tratamentos, sinais de alerta no couro cabeludo e cabelos e abordamos, também, a saúde dos fios e o que precisa ser feito para termos cabelos mais bonitos.

Está imperdível e ainda à disposição neste link! Corra lá para ver e deixe seu like!

LEIA MAIS

Sabemos que o meio ambiente causa diversos danos na pele, cabelos e unhas.

O termo intemperismo é emprestado da geologia e diz respeito ao conjunto de processos mecânicos, químicos e biológicos que ocasionam a desintegração e a decomposição das rochas.

Transpondo isso para o contexto dos cabelos, o intemperismo capilar seria os fatores ambientais que estariam associados ao dano aos fios dos cabelos.

E quais seriam esses elementos?

• Radiação ultravioleta
Os raios ultravioletas degradam a melanina, que seria um protetor natural dos fios.

A exposição à luz solar e a essas radiações levam a alterações na composição dos fios e perda da integridade dos cabelos.

Esse efeito é pior ainda em cabelos brancos e loiros! Portanto, nesses casos, é fundamental proteger os fios sempre que for se expor ao sol.

Há produtos capilares como leave-ins com filtro solar. Recomendo, também, o uso de bonés e chapéus.

O envelhecimento dos fios piora com essas radiações e leva a cabelos mais quebradiços e ralos, com áreas de rarefação.

 

• Pentear os cabelos
O estímulo mecânico causado pelo ato de pentear os fios pode levar a quebras e traumas nos fios.

Indica-se o uso de produtos específicos para evitar essa quebra, como cremes para pentear e leave-ons.

 

• Lavar os cabelos
Todas as vezes que lavamos, há perda de gorduras e de proteínas dos fios e, portanto, é importante reduzir ao máximo esse trauma.

O uso de xampus adequados, com pH balanceado, é uma dica, mas deve-se evitar grande quantidade de produto ou fazer muita espuma.

Além disso, não se deve aplicar esse produto no comprimento dos fios.

 

• Descolorações e tinturas
Ambas as técnicas rompem as pontes de enxofre e abrem a cutícula do fio, mas, no caso da descoloração, há o malefício de se remover a cor do fio, por meio de um processo oxidativo.

Isso torna o cabelo mais frágil, além de muito ressecado.

 

• Alisamentos e permanentes
Ambos os procedimentos visam romper as pontes de dissulfeto. Algumas técnicas utilizam substâncias com pH muito diferente do fio e/ou calor.

O resultado disso é um fio com perda de estrutura, fragilizado e quebradiço.

O quadro pode ficar ainda mais dramático quando há associação de técnicas, ou seja, quando fazemos, por exemplo, alisamento e descoloração.

O resultado desse tipo de procedimento é o aumento do risco de quebra dos fios.

Se mesmo assim se optar pela combinação dessas técnicas, aconselha-se a fazer primeiro o alisamento e depois descoloração. Até porque o alisamento pode alterar a cor dos fios.

 

• Calor
Por fim vamos falar sobre o uso de secadores e chapinhas.

Todos sabemos que o calor em excesso prejudica a saúde dos fios. Portanto, alguns cuidados devem ser observados.

Evitar escova em cabelos molhados, porque isso pode levar à formação de bolhas dentro dos fios, que vão fragilizá-los!

Recomenda-se secá-los antes e usar o secador sempre a 15cm do cabelo. Isso evita a quebra dos fios e o surgimento de pontas duplas.

Para cuidar bem dos seus cabelos evite fazer muitos procedimentos, hidrate os fios de forma regular com máscaras e leave-ins e siga essas dicas!

 

Caso não veja melhora, procure um médico especialista. O dermatologista pode ajudar você!

LEIA MAIS

Participei como coordenadora do curso pré-congresso de Cosmiatria de Cabelos e Unhas e palestrei sobre suplementação oral para unhas.

Dessa vez o congresso aconteceu em Brasília e as aulas foram muito interessantes e proveitosas, com excelente didática dos palestrantes.

No meu tema, falei principalmente da biotina e do silício, mas também abordei o uso dos peptídeos do colágeno e do ômega 3.

Na parte das unhas, discutimos a síndrome das unhas fracas, os esmaltes e os procedimentos de alongamento das unhas e seus efeitos adversos e a possibilidade de melhora estética de doenças ungueais crônicas ou que sofreram traumas.

Já na parte dos cabelos, falou-se sobre o intemperismo capilar e cosméticos capilares, além das próteses capilares e a perda de cabelos por tração.

O intemperismo capilar é um assunto fascinante e será tema do nosso próximo post, mas aqui vai um spoiler: trata-se de tudo que está no ambiente e pode danificar o fio.

Os grandes vilões são: o sol, o ato de pentear e tracionar os fios, a limpeza excessiva, as tintas e descolorações, os alisamentos e o calor.

LEIA MAIS