Esse é um assunto que venho estudando há alguns anos e me levou a fazer uma pós-graduação em nutrologia pela Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN) no ano de 2017.

Também foi tema de duas das minhas palestras mais recentes.

Uma no fim de março, no Rio de Janeiro, durante o 2º Simpósio de Envelhecimento da SBD, e outra, no início de abril, em São Paulo, durante o III Simpósio de Cabelos e Unhas da SBD- Regional São Paulo.

Vários suplementos podem nos ajudar, seja no envelhecimento da pele, seja no tratamento de alterações de cabelos e unhas.

No entanto, nenhum desses compostos tem a capacidade de resolver milagrosamente todos os problemas de forma definitiva e, na realidade, faz parte de uma estratégia de tratamento.

Essa estratégia precisa (entenda isso) ser individualizada porque ninguém é igual ao outro, nem geneticamente, nem em termos de exposição ambiental.

Cabe ao médico, juntamente com o paciente, estabelecer quais suplementos farão parte dessa estratégia (e, talvez, para que ela seja bem-sucedida, o paciente deva incluir algumas mudanças de estilo de vida, como incorporação de hábitos e abandono de alguns vícios).

E é por isso que não tenho como responder às perguntas: “Que creme é bom para não envelhecer?” ou “O que preciso tomar para o meu cabelo parar de cair?”.

Tudo isso depende de quem pergunta e de uma conduta que será elaborada a partir de uma avaliação ou consulta médica, feita no lugar apropriado para isso, que é o consultório.

Seguem fotos dos eventos que participei e espero que eu tenha esclarecido algumas das dúvidas de vocês sobre esse tema.

No meu Instagram @dratatianagabbi eu falo bastante sobre esse assunto e tenho alguns vídeos esclarecedores sobre o assunto. Me segue lá!

LEIA MAIS

A caspa é o nome popular de uma doença conhecida como dermatite seborreica.

Esse problema que, em geral, atinge o couro cabeludo, pode ficar mais extenso e aparecer também atrás das orelhas, nas sobrancelhas, na região da barba, ao redor do nariz e na região do peito.

Em algumas pessoas, fica vermelho e descasca, em outras fica apenas descamativo. Pode ou não coçar.

Em pessoas bem morenas, a caspa pode deixar a área afetada mais clara que o restante da pele.

É crônica e tem períodos de melhora e piora, podendo ficar muito tempo sem aparecer.

No entanto, quando alguém diz que tem caspa, está se referindo à descamação do couro cabeludo.


E isso pode ter várias causas, inclusive a dermatite seborreica!

Se esse for o seu caso, você precisa usar um shampoo adequado todos os dias para fazer a limpeza do couro cabeludo.

O shampoo anticaspa possui ativos que controlam a descamação e a proliferação de um fungo que vive normalmente na nossa cabeça, mas que pode causar esse problema quando está presente em maior quantidade!!!

Como o problema é crônico, ele tende a voltar após um tempo que a pessoa abandona o uso do shampoo correto, mas pode ficar excelente durante o uso.

Outro problema que pode ser confundido com a caspa verdadeira é quando alguém com poucos cabelos, cabelos ralos ou muito claros se expõe ao sol sem usar chapéus ou bonés.

Nesse caso, ocorre uma queimadura do couro cabeludo que pode descascar com o passar dos dias.

A orientação aqui é de usar shampoos suaves para não agredir a pele em recuperação e até mesmo alguns condicionadores especiais que podem ser usados no couro cabeludo.

E, obviamente, se isso aconteceu com você: na próxima vez que se expuser ao sol, usar a proteção adequada para que isso não ocorra novamente!

A dermatite de contato é uma lesão que aparece quando alguma substância irritante ou que nos cause alergia entra em contato com a nossa pele.

Em geral, coça bastante e aparece logo depois de uma tintura ou procedimento de alisamento ou permanente.

O indicado é evitar novo contato com a substância que causou o quadro e usar shampoos suaves que respeitem a pele irritada do couro cabeludo.

Caso a coceira seja intensa, poderá ser necessário consultar um dermatologista que irá receitar medicamentos locais e orais para controle do quadro.

Finalmente, quadros de caspa extensas, que não cedem com o uso diário de um shampoo adequado, merecem a visita de um médico dermatologista porque existe um monte de outras doenças que podem aparecer no couro cabeludo!

Quanto antes forem feitos o diagnóstico e o tratamento, melhor! A saúde dos seus cabelos agradece!

LEIA MAIS

A convite do UOL, fui à praia Riviera de São Lourenço, em Bertioga, fazer uma palestra ao vivo no Espaço Viva Bem sobre fotoproteção, na sexta-feira passada.

Você pode conferir o vídeo neste link.

Iniciei a palestra falando sobre as características das lesões malignas e sobre a necessidade de proteger a nossa pele quando nos expomos ao sol.

Afinal, um dos fatores de risco mais importantes para o surgimento do câncer de pele é justamente a radiação ultravioleta!

Na sequência expliquei um pouco sobre o Verão Laranja, campanha da Sociedade Brasileira de Dermatologia que visa esclarecer a população sobre os mitos e verdades da exposição solar, além de orientar e incentivar o diagnóstico precoce do câncer de pele.

Falamos, também, sobre a vitamina D e como fica essa situação quando usamos filtro solar.

Segundo um estudo conduzido pela SBD, os níveis de vitamina D não sofrem com a exposição solar protegida, apenas ficam baixos quando o paciente realmente evita o sol.

Fechei a palestra esclarecendo algumas dúvidas comuns de consultório sobre pele e cabelos.

Falei sobre queimaduras solares e o cabelo verde que pode aparecer após banhos de piscina.

Foi muito legal ter participado e espero que vocês gostem do vídeo. Seguem fotos do evento.

LEIA MAIS

Ontem à noite eu participei ao vivo de uma sessão de perguntas e respostas sobre os problemas dos cabelos, na página do Facebook do Minha Vida.

O Minha Vida é um portal de saúde, e eu tenho uma coluna mensal em que discuto doenças dos cabelos e unhas. Se quiser conhecer é só clicar aqui.

A Live de segunda à noite foi bem dinâmica, durou cerca de 30 minutos e abordou uma série de dúvidas elaboradas pelos jornalistas que integram a equipe do site e também do público que prestigiou o evento.

Falamos sobre calvície, tratamentos, sinais de alerta no couro cabeludo e cabelos e abordamos, também, a saúde dos fios e o que precisa ser feito para termos cabelos mais bonitos.

Está imperdível e ainda à disposição neste link! Corra lá para ver e deixe seu like!

LEIA MAIS

Sabemos que o meio ambiente causa diversos danos na pele, cabelos e unhas.

O termo intemperismo é emprestado da geologia e diz respeito ao conjunto de processos mecânicos, químicos e biológicos que ocasionam a desintegração e a decomposição das rochas.

Transpondo isso para o contexto dos cabelos, o intemperismo capilar seria os fatores ambientais que estariam associados ao dano aos fios dos cabelos.

E quais seriam esses elementos?

• Radiação ultravioleta
Os raios ultravioletas degradam a melanina, que seria um protetor natural dos fios.

A exposição à luz solar e a essas radiações levam a alterações na composição dos fios e perda da integridade dos cabelos.

Esse efeito é pior ainda em cabelos brancos e loiros! Portanto, nesses casos, é fundamental proteger os fios sempre que for se expor ao sol.

Há produtos capilares como leave-ins com filtro solar. Recomendo, também, o uso de bonés e chapéus.

O envelhecimento dos fios piora com essas radiações e leva a cabelos mais quebradiços e ralos, com áreas de rarefação.

• Pentear os cabelos
O estímulo mecânico causado pelo ato de pentear os fios pode levar a quebras e traumas nos fios.

Indica-se o uso de produtos específicos para evitar essa quebra, como cremes para pentear e leave-ons.

• Lavar os cabelos
Todas as vezes que lavamos, há perda de gorduras e de proteínas dos fios e, portanto, é importante reduzir ao máximo esse trauma.

O uso de xampus adequados, com pH balanceado, é uma dica, mas deve-se evitar grande quantidade de produto ou fazer muita espuma.

Além disso, não se deve aplicar esse produto no comprimento dos fios.

• Descolorações e tinturas
Ambas as técnicas rompem as pontes de enxofre e abrem a cutícula do fio, mas, no caso da descoloração, há o malefício de se remover a cor do fio, por meio de um processo oxidativo.

Isso torna o cabelo mais frágil, além de muito ressecado.

• Alisamentos e permanentes
Ambos os procedimentos visam romper as pontes de dissulfeto. Algumas técnicas utilizam substâncias com pH muito diferente do fio e/ou calor.

O resultado disso é um fio com perda de estrutura, fragilizado e quebradiço.

O quadro pode ficar ainda mais dramático quando há associação de técnicas, ou seja, quando fazemos, por exemplo, alisamento e descoloração.

O resultado desse tipo de procedimento é o aumento do risco de quebra dos fios.

Se mesmo assim se optar pela combinação dessas técnicas, aconselha-se a fazer primeiro o alisamento e depois descoloração. Até porque o alisamento pode alterar a cor dos fios.

• Calor
Por fim vamos falar sobre o uso de secadores e chapinhas.

Todos sabemos que o calor em excesso prejudica a saúde dos fios. Portanto, alguns cuidados devem ser observados.

Evitar escova em cabelos molhados, porque isso pode levar à formação de bolhas dentro dos fios, que vão fragilizá-los!

Recomenda-se secá-los antes e usar o secador sempre a 15cm do cabelo. Isso evita a quebra dos fios e o surgimento de pontas duplas.

Para cuidar bem dos seus cabelos evite fazer muitos procedimentos, hidrate os fios de forma regular com máscaras e leave-ins e siga essas dicas!

Caso não veja melhora, procure um médico especialista. O dermatologista pode ajudar você!

LEIA MAIS

Participei como coordenadora do curso pré-congresso de Cosmiatria de Cabelos e Unhas e palestrei sobre suplementação oral para unhas.

Dessa vez o congresso aconteceu em Brasília e as aulas foram muito interessantes e proveitosas, com excelente didática dos palestrantes.

No meu tema, falei principalmente da biotina e do silício, mas também abordei o uso dos peptídeos do colágeno e do ômega 3.

Na parte das unhas, discutimos a síndrome das unhas fracas, os esmaltes e os procedimentos de alongamento das unhas e seus efeitos adversos e a possibilidade de melhora estética de doenças ungueais crônicas ou que sofreram traumas.

Já na parte dos cabelos, falou-se sobre o intemperismo capilar e cosméticos capilares, além das próteses capilares e a perda de cabelos por tração.

O intemperismo capilar é um assunto fascinante e será tema do nosso próximo post, mas aqui vai um spoiler: trata-se de tudo que está no ambiente e pode danificar o fio.

Os grandes vilões são: o sol, o ato de pentear e tracionar os fios, a limpeza excessiva, as tintas e descolorações, os alisamentos e o calor.

LEIA MAIS
Recentemente fui convidada a falar sobre micropigmentação e técnicas de despigmentação no Domingo Espetacular. Esse post é para você, que fez micropigmentação nas sobrancelhas e detestou o resultado! É a segunda vez que participo do programa. Da primeira vez falei sobre as olheiras e seus tratamentos. Confira aqui. Aliás, temos outros posts sobre micropigmentação de olheiras, bem como participações sobre esse tema na televisão. Confira neste link. As técnicas mencionadas na reportagem são o uso do laser e da solução de salina com o auxílio do microagulhamento. Há vários tipos de laser no mercado, com preços e número de sessões que variam conforme o aparelho empregado. Consulte sempre um médico dermatologista para que o resultado desse procedimento seja satisfatório! Outras opções não citadas são os peelings e a conduta expectante (que significa aguardar, sem fazer nada, além de observar), já que a micropigmentação, quando feita de forma correta, é muito mais superficial que a tatuagem e tende a sair com o tempo. Como a reportagem é muito grande, nós fizemos um vídeo com os highligths do programa. O resultado você confere aqui neste post. Aproveite e siga o meu canal no youtube e não esqueça de curtir e compartilhar!
LEIA MAIS

Neste último domingo, dia 06/05, participei de um curso exclusivo de alopecia frontal fibrosante, uma doença que está cada vez mais frequente nas mulheres de todas as faixas etárias e que leva à perda permanente dos cabelos.

O curso foi organizado pela Dra. Aline Donati, no auditório do Hospital do Servidor Público Municipal, em São Paulo.

O quadro clínico desse tipo de alopecia cursa com a perda dos fios mais finos e, consequente, aumento da região da testa.

O grande desafio dos dermatologistas está em fazer o diagnóstico precoce para que possamos, assim, intervir antes do desfecho, evitando o surgimento de áreas de cicatriz no couro cabeludo.

O primeiro sinal presente na maioria das pacientes é a perda dos fios das sobrancelhas, que se tornam falhadas e incompletas. Além disso, algumas notam que a testa está mais alta ou, ainda, que a área das costeletas está sumindo.

Esses sinais podem ou não ser acompanhados de sintomas inespecíficos, tais como ardor ou prurido no couro cabeludo e/ou queda dos cabelos.

E, quando notados, recomenda-se fortemente que a paciente procure um especialista, pois o quadro pode corresponder ao da alopecia fibrosante frontal.

Trata-se de uma doença relativamente nova, descrita pela primeira vez em 1994, ou seja, há pouco mais de 20 anos! Era pouco vista nos consultórios médicos no passado, mas está cada vez mais frequente no nosso meio e no mundo todo!

Não deixe de ver e de compartilhar o vídeo abaixo! Ajude a espalhar a consciência sobre esse tipo de problema!

O tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível para evitar a progressão e perda definitiva dos fios!

Até a próxima!

LEIA MAIS